26/03/2018 às 14h34min - Atualizada em 26/03/2018 às 14h34min

Minha Casa Minha Vida puxa crescimento no ramo da construção

Obras do programa, que utilizam recursos da Caixa e do FGTS, concentram empreendimentos na área de habitação, principal responsável pelos resultados do setor

Portal Brasil
Foto: Rafael Luz/Ministério das Cidades
Empresários do ramo da construção estão mais confiantes, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (FGV Ibre). O Índice de Confiança da Construção (ICST), utilizado para medir as evoluções e retrações na confiança empresarial do ramo, teve aumento em março - tanto na comparação com fevereiro quanto na comparação com o mesmo período do ano passado. O programa habitacional Minha Casa Minha Vida teve participação nesse crescimento:

Na vanguarda do crescimento
Entre os setores da construção com resultados positivos, “Edificações” foi o grande destaque. Dentro dele, o índice do segmento “Residencial” foi o que mais contribuiu o aumento da confiança do setor e deu continuidade a uma tendência que teve início em 2017, quando a recuperação começou. De acordo com a FGV Ibre, o crescimento do setor de construção em 2018 será impulsionado pela habitação. Esse desempenho é muito concentrado nos empreendimentos do programa Minha Casa Minha Vida.

Mudança nas regras
Em fevereiro do ano passado, as regras do Minha Casa Minha Vida mudaram: famílias com renda de até R$ 9 mil passaram a ter acesso ao programa. Assim que as alterações foram anunciadas, empresários e representantes de entidades do setor manifestaram otimismo com a novidade. Para eles, a medida tinha potencial para reaquecer não somente o ramo da construção, como toda a economia brasileira, com impacto no comércio, negócios, desenvolvimento social e geração de emprego.


Mais resultados
Índice de Confiança da Construção

- Crescimento de 0,7 ponto em março
- Atingiu patamar de 82,1 pontos

Índice da Situação Atual
- Crescimento de 0,9 ponto
- Atingiu patamar de 71,4 pontos, maior nível desde julho de 2015

Índice de Expectativas (IE-CST)
- Crescimento de 0,5 ponto em março
- Atingiu patamar de 93,2 pontos

Nível de Utilização da Capacidade (NUCI)
- Retração de 0,5 ponto percentual
- Atingiu patamar de 65%


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »