29/04/2020 às 11h31min - Atualizada em 29/04/2020 às 11h31min

Secretaria de Agricultura realiza capacitação de profissionais por videoconferências

Após cada atividade, são feitas análises para definir novos passos e temas para o desenvolvimento do setor no Estado

Governo do Estado de São Paulo
Foto: Divulgação

Atualizar conhecimentos para atender a demanda do meio rural e aprimorar a relação com os produtores em todos os níveis são alguns dos objetivos da série de videoconferências que tiveram início no mês de abril.

“Desde o início do ano, o coordenador da Coordenadoria de Desenvolvimento Rural Sustentável [CDRS], José Luiz Fontes, salientou a importância de fortalecer a rede de extensionistas da linha de frente dos trabalhos, nos Escritórios Regionais e nas Casas da Agricultura. Estruturamos uma série de capacitações presenciais, iniciando por um ciclo de palestras, que, com a necessidade de isolamento social, foram revertidas para o ambiente virtual. E o retorno tem sido muito bom”, explica o engenheiro agrônomo Jovino Paulo Ferreira Neto, diretor da CDRS Regional Guaratinguetá, que está à frente da realização das palestras, com temas elencados com parceiros da instituição.

Segundo Jovino Neto, a cada videoconferência são feitas análises para definir novos passos e temas. “Nosso objetivo é, a partir das discussões, elaborar um plano de ações para traçar estratégias para o trabalho de extensão rural no Estado, em conformidade com a realidade do desenvolvimento do agronegócio paulista e as necessidades dos produtores rurais”, completa.

Palestra

No dia 23 de abril, a videoconferência realizada foi conduzida pelo engenheiro agrônomo, sociólogo e pesquisador da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Zander Navarro. A palestra “Novos tempos da economia agropecuária no Brasil: o que muda para a Extensão Rural e Assistência Técnica” foi o fio condutor para o debate, que reuniu 110 técnicos da rede da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, além de convidados.

“Atualmente, temos um cenário heterogêneo no agronegócio brasileiro, com intensificação tecnológica e o envolvimento de grandes empresas rurais, nacionais e estrangeiras em um processo de produção lucrativo. Assim, alguns produtores se integram mais solidamente aos mercados e se modernizam mais rápido que outros, principalmente os pequenos, os quais não têm tanto acesso à tecnologia e têm sido os mais afetados pelas mudanças demográficas no campo”, pontua Zander Navarro.

Sobre a realização das videoconferências e a extensão rural paulista, Zander enaltece a iniciativa. “Tive o prazer de trabalhar como consultor no Projeto Microbacias e conheci os colegas da instituição e também conheço o trabalho da Secretaria. Observei com entusiasmo que estão sendo propostas ações para fortalecer a extensão rural de São Paulo, estado agrícola mais importante do Brasil, com o maior valor de produção. A CDRS possui um ‘pequeno exército’ de profissionais com competência acumulada em anos de trabalho, o que é muito significativo neste momento e contexto”, acrescenta o pesquisador.

Para Luiz Antonio de Proença, diretor substituto da CDRS Regional Sorocaba, as videoconferências têm sido uma oportunidade para atualizar conhecimentos. “Os debates e temas têm sido importantes para nos levar à uma reflexão, que às vezes é difícil de fazer quando estamos envolvidos em várias ações cotidianas. Confrontar diferentes visões, principalmente no lado social da extensão rural e da assistência técnica, amplia nossas bases para repensar nosso trabalho como extensionistas”, diz.

“Encontros como este são muito importantes porque levam à reflexão. Às vezes, discutimos com base em ‘achismos’, mas quando a afirmação é fruto de um resultado de pesquisa, torna-se fundamental para mudar nosso olhar. O Zander é um pesquisador que tem conhecimento e sabe transmiti-lo. Foi uma ótima oportunidade e espero mais palestras como esta”, avalia Paulo Sérgio Martin, da CDRS Regional Dracena.

Debates

Na primeira videoconferência, em 9 de abril, foram apresentados os resultados da pesquisa “A nova assistência técnica agrícola”, conduzida no âmbito do projeto Universidade do Café, do PENSA – Centro de Conhecimento em Agronegócios, programa vinculado à Fundação Instituto de Administração (FIA). O coordenador do projeto, professor Décio Zylbersztajn, conduziu a apresentação aos colaboradores da CDRS e convidados.

“Já temos um histórico de colaboração e parceria com a CDRS. Conversando com o Jovino Neto, apresentamos esta pesquisa que realizamos em 2019 e decidimos apresentá-la aos técnicos da rede. O resultado foi muito bom. A Secretaria tem técnicos de alto nível e nosso objetivo é contribuir com a formação contínua e a troca de conhecimentos, trazendo novas visões de Assistência Técnica e Extensão Rural [Ater] para apoiar os extensionistas em seu trabalho junto aos produtores rurais”, salienta Christiane Leles Rezende de Vita, pesquisadora do PENSA.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »