24/04/2020 às 10h41min - Atualizada em 24/04/2020 às 10h41min

Alfabetização emocional: como falar de sentimentos com crianças

Como educar seus filhos através de uma disciplina positiva? E como usar essa estratégia para falar de sentimentos? Confira aqui

Unimed
Assim como aprendem a falar, a andar e a comer, as crianças também aprendem a sentir. Ou melhor, aprendem a interpretar as emoções que vivenciam. O controle dessa complexidade de sentimentos é fundamental para o crescimento de qualquer indivíduo e os adultos podem auxiliar na “alfabetização emocional” dos seus filhos. Confira aqui:

Como ter disciplina positiva para educar filhos?

filhos conversam com seus pais na sala

filhos conversam com seus pais na sala



Antes de sair apontando um comportamento ideal que deve ser seguido, os pais precisam assumir uma postura disciplinar positiva. Essa é uma forma de educar sem violência, conversando com os pequenos com firmeza e, ao mesmo tempo, utilizando um tom de voz gentil, não punitivo. 
 
Afinal, se estamos querendo entender como falar de sentimentos com as crianças, precisamos, antes de mais nada, aprender a reconhecer as emoções para – só depois – descobrir formas saudáveis de lidar com elas. Portanto, ter disciplina positiva para educar filhos é o primeiro passo para uma alfabetização emocional de sucesso.
 
Essa técnica educacional tem base na convivência colaborativa, na qual pais e filhos aprendem juntos. Com a disciplina positiva, abre-se mão de castigos, brigas, ameaças e recompensas para conseguir que os pequenos façam algo. Separamos três ideias para inspirar a educação dos pequenos com essa estratégia. Confira! 
 
1 - Dê o exemplo para seus filhos 
Os filhos se espelham no comportamento das pessoas com quem têm maior convívio. Para conseguir falar de sentimentos com eles, em primeiro lugar, é preciso mostrar que você sabe administrar bem suas próprias emoções.
 
2 - Converse com seus filhos 
Para uma criança expressar seus sentimentos da melhor forma, ela precisa aprender a se comunicar de maneira natural. Conversar com seus filhos demonstra que você os respeita, leva a opinião deles a sério e mostra, desde cedo, que eles são responsáveis pelos seus próprios atos.
 
3 - Ajude a criança a pensar
Questione comportamentos e ações dos seus filhos e faça-os pensar no que estão sentindo. Por exemplo: “Por que você acha que está com raiva?", "Como você se sentiu ao compartilhar seus brinquedos?". Esses estímulos ajudam os pequenos a encontrar lógica em suas ações e, consequentemente, fazer uma ligação positiva entre o que é certo e errado. 
 
Empatia na educação infantil: por que é importante? 

pais conversam com o filho na sala

pais conversam com o filho na sala



Uma alfabetização emocional começa com uma educação não violenta e com a empatia dos pais em entender o que se passa nas cabecinhas dos pequenos. 
 
Acima de tudo, a empatia é a capacidade de ouvir, acolher ideias e se colocar na posição de outra pessoa para conseguir ter uma visão mais ampla de um acontecimento. Desenvolver essa habilidade é essencial para ajudar os pequenos a entender seus sentimentos, visto que será preciso se colocar no lugar de uma criança – descobrindo um mar de emoções novas – para entender angústias, ansiedades, ataques de raiva, alegrias e tristezas.
 
Dicas para falar de sentimentos com as crianças

família asiática conversa na sala

família asiática conversa na sala



Para falar de sentimentos com as crianças, é importante ter em mente que as emoções foram feitas para serem sentidas, não reprimidas. A alfabetização emocional gera inteligência emocional. Crianças com maior desenvoltura diante de desafios foram estimuladas por seus responsáveis para isso. 
 
Lembre-se sempre de que crianças que sabem entender seus sentimentos conseguirão resolver conflitos futuros de forma mais pacífica. Adiante, listamos algumas dicas para você começar a educar emocionalmente as crianças:

- Conte histórias da sua infância e os sentimentos que você tinha com elas
- Ensine aos pequenos os nomes das emoções e o que elas significam
- Ajude-os a entender quais são suas preferências, seus desejos e suas necessidades
- Mostre que errar é normal e que está tudo bem se algo não der certo
- Crie oportunidades para conversar sobre sentimentos: fale para seus filhos e os ouça
- Elogie seus filhos quando eles reconhecerem sentimentos de forma positiva
- Foque em conter a ação negativa, não a própria criança. Reprimir não é legal
- Evite dizer “não precisa chorar", mas questione o motivo de a criança estar chorando
- Na hora da birra, não castigue, mas mostre que entende a frustração do pequeno
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »