11/03/2020 às 16h03min - Atualizada em 11/03/2020 às 16h03min

Após 4 anos em queda, setor de serviços cresce 1% em 2019

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Após 4 anos seguidos de queda, o setor de serviços aumento em 1% no ano de 2019. Mas apensar deste aumento ao longo do ano, em dezembro houve um recuo de 0,4% com relação ao mês de novembro, resultando no segundo mês seguido de queda, sendo que somados Novembro e Dezembro a queda representou 0,5%.

Os dados foram divulgados no último dia 12 pelo IBGE, na pesquisa mensal de Serviços.

Esta alta é de suma importância, uma vez que entre 2015 e 2017 tivemos quedas significativas, sendo que somadas estas quedas representaram 11%. Embora esta alta tenha um impacto positivo e seja de fundamental importância para o setor de serviços, ela ainda não está perto do que pode vir a chegar nos próximos anos.

 Segundo Adriano Luz, fundador da Webtrends, a tendência é que o setor de serviços cresça ainda mais em 2020 e uma das primeiras áreas a sentir este efeito é exatamente o Marketing. A medida que o setor começa a reagir, é natural que as empresas procurem serviços relacionados a Marketing para impulsionar o movimento em torno de si próprio.

 Apenas para registrar informações mais detalhadas, o resultado do setor em 2015 foi de -3,6%, em 2016 foi -5,00% e em 2017 foi de -2,8%. No ano de 2018 o resultado foi exatamente 0%.
 
Setores de Destaque

Este crescimento teve como destaque os setores de informação e comunicação, que somados fechou o ano com aumento de 3,3%. Outro setor que também apresentou números interessantes foi o de locação de automóveis.
 
Mas o que esperar agora?

Apesar do ano ter encerrado com números negativos nos últimos dois meses, de 5 segmentos 4 apresentaram crescimento, segundo análise publicada pelo Mitsubishi UFJ Financial Group (MUFG).

“O bom ritmo de crescimento dos serviços prestados às famílias está alinhado com a melhoria gradual das condições do mercado de trabalho, enquanto a contração registrada pelo transporte está ligada ao desempenho da produção industrial que sofre com incerteza sobre a tendência das demandas domésticas e globais”, destacou.

Na visão da MUFG, o mesmo padrão deveremos encontrar ao longo do ano de 2020. Ainda há a perspectiva que serviços direcionados a famílias apresentem resultado mais positivo, uma vez que a demanda poderá ser cada vez mais consistente.

A consequência de tudo isso é que há grandes chances de registrarmos níveis mais acentuados de novos empregos com registro, queda na inflação do período e a continuidade da taxa de juros Selic no índice de 4,25% ao longo de mais tempo, o que favorece o acesso ao crédito e como consequência o consumo.

Outra previsão, embora esta não seja tão positiva, é que o setor de transportes deverá apresentar um desempenho um pouco abaixo, embora possa registrar números positivos ao final de 2020. O que pode impactar na manutenção dos índices de transporte em níveis melhores é o avanço na produção industrial e também no setor de construção civil.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »