06/03/2020 às 15h31min - Atualizada em 06/03/2020 às 15h31min

Saiba identificar o momento ideal para renovar os móveis da sua casa

Depois de quanto tempo é necessário abrir mão do seu colchão? E das cadeiras da sua sala de estar? Confira algumas dicas que podem ajudá-lo a decidir o que fazer!

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
Você sabe qual é a durabilidade da cadeira de trabalho, há quanto tempo está com o mesmo móvel na sua sala de estar, ou quando comprou o colchão da sua cama?
 
Com a correria da vida cotidiana, frequentemente esquecemos de verificar o estado e a funcionalidade de diversos dispositivos e móveis que estão ao nosso redor. Não é raro que só decidamos fazer algumas trocas quando os nossos colchões, cadeiras e móveis estão prestes a desabar.
 
Neste artigo, falaremos um pouco mais sobre a questão, explicando quais são os indícios de que é necessário aposentar determinados móveis e investir em novos, e quais são os perigos de manter por perto um produto que já não está mais sendo útil. Confira!
 

Quando renovar os móveis da casa?

Se você investir em produtos de boa qualidade e feitos com material confiável, é possível usufruir dos benefícios deles por cerca de uma década. Cadeiras feitas em madeira maciça, se bem conservadas, podem sobreviver realmente por muito tempo!
 
Outros materiais resistentes, como o plástico, também podem durar muito tempo: basta tomar cuidado, mantê-los sempre limpos e evitar a utilização de produtos abrasivos e similares na hora de limpá-los.
 
Listamos a seguir algumas dicas para que você saiba quando deve trocar os demais móveis da sua casa.
 

Quando trocar o colchão e os travesseiros?

O colchão é um dos itens que mais demoram a serem substituídos, já que a maior parte das pessoas acredita que só deve trocá-lo quando algo muito complicado começa a acontecer.
 
A verdade é que colchões com muitos anos de vida perdem o conforto e a utilidade: as molas podem ficar gastas, ele pode ficar torto ou desconfortável e, em alguns casos, pode até reunir grandes quantidades de bactérias. A melhor opção é substituí-lo depois de cinco anos ou, no máximo, uma década de utilização.
 
Os travesseiros, por sua vez, não podem esperar tanto assim: a recomendação é que sejam substituídos em, no máximo, dois anos. Se você não puder higienizá-los ou se perceber que estão perdendo a forma, a ideia é que eles não passem de um ano de vida.
 

E os sofás?

Se você optar por um modelo de sofá feito com material de boa procedência e impermeável, temos boas notícias: em casos do gênero, a tendência é que esse móvel dure por até 15 anos.
 
Sempre prefira móveis com esqueleto feito de madeira maciça ou de outros produtos igualmente duráveis, e com cobertura de couro e similares. Dessa forma, mesmo que haja acidentes com manchas ou itens danosos, as superfícies não serão tão afetadas, além de serem mais fáceis de limpar.
 

Armários

Como saber se os armários estão em boa condição? Vamos lá: se eles forem feitos de madeira de boa qualidade, a tendência é que fiquem firmes por muitos anos. Se forem de MDF, a vida é mais curta: produtos feitos com esse material tendem a durar, aproximadamente, dez anos.
 
Para mantê-los em boas condições, evite o contato com a água, limpe-os com produtos especializados e não os movimente — mudando-os de lugar no cômodo, por exemplo — com muita frequência, especialmente se precisar subir e descer escadas ou fazer mudanças.
 
Sempre que houver um problema pequeno, conserte-o depressa: quanto mais tempo demoramos para resolver uma situação, maiores as chances de ela se transformar em algo sério e fazer com que gastemos mais dinheiro.
 

E as cadeiras, quando devem ser substituídas?

Uma dica é: não se apegue. Se uma das pernas quebrou, pense se vale a pena consertá-la ou se é melhor entregar a cadeira para ser transformada em alguma outra coisa.
 
Se o estofado não está legal, você pode substituí-lo. Outras estruturas talvez não sejam tão simples de consertar, como já comentamos, nesses casos, vale pensar o que é financeiramente mais viável.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »