31/01/2020 às 14h59min - Atualizada em 31/01/2020 às 14h59min

Placa Mercosul: saiba quanto vai custar e quando você terá de adotá-la

Após anos de idas e vindas e muitas mudanças, padrão enfim vira obrigatório em todo o país. Confira também como ficou o design

Quatro Rodas
Foto: Divulgação
Depois de longa espera e enorme imbróglio judicial, finalmente a placa padrão Mercosul passou a ser obrigatória em todo Brasil.

A obrigatoriedade começa a vigorar a partir desta sexta-feira (31) para: veículos novos; que mudarem de categoria; que precisarem ter suas placas antigas substituídas devido a danos ou furto.

A nova PIV (Placa de Identificação Veicular) continua tendo sete dígitos, mas se difere da antiga, cinza, por adotar uma letra a mais e um número a menos, e também pela disposição dos caracteres.

Segundo o Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), o novo modelo permitirá o surgimento de 450 milhões de novas combinações.



Outra novidade é que a nova placa não será mais instalada diretamente pelo Detran (Departamento Estadual de Trânsito). Os modelos passam agora a ser fabricados e vendidos por empresas credenciadas pelo órgão.

Os preços variam de estado para estado.

Em São Paulo, o par das novas placas para carros será de R$ 138, enquanto modelos para motos e avulsos saem por R$ 114. No Rio, é mais caro para carros (R$ 179,84), mas muito mais barato para motos (R$ 55,05).

O preço mais alto que encontramos foi no Pará: R$ 240 para automóveis.

Mas há um caso à parte: em Minas Gerais, o Detran local pediu mais 60 dias de adiamento porque ainda não terminou o processo de cadastro da empresa fabricante das placas.

Entenda o que mudou do projeto inicial



Inicialmente, o projeto previa que o modelo de placas do Mercosul fosse adotado em todo Brasil até dezembro de 2018.

Entretanto, depois de uma série de liminares expedidas a pedido de órgãos de trânsito, o prazo se alongou até o final de janeiro deste ano.

Outra mudança reside no layout das novas placas. A princípio, os novos modelos viriam estampados com brasões do Estado e da cidade de registro do carro.

Essa obrigação caiu após decisão de 2018 do Ministério das Cidades, que alegou haver custos muito elevados para a confecção dos modelos com os logos estampados.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »