15/01/2020 às 07h27min - Atualizada em 15/01/2020 às 07h27min

Polícia Civil resgata cerca de mil galos que eram usados em “rinha”

Ação foi deflagrada por delegacia especializada em crimes contra o meio ambiente de Santo André

SSP
Foto: Polícia Civil
A Polícia Civil resgatou, aproximadamente, mil galos que eram usados para a prática de “rinha”.  A ação foi realizada por agentes da Delegacia de Investigação de Infrações e Crimes Contra o Meio Ambiente (Diccma) de Santo André.

O delegado Luís Guilherme e o investigador Renzo Angerami, da especializada, divulgaram em entrevista coletiva que as investigações tiveram início a partir de uma ocorrência apresentada pela Guarda Municipal no 1º Distrito Policial de Mauá. Na ocasião – agosto de 2019, uma denúncia anônima informou que na região estaria ocorrendo “rinha de galos”.

A apuração levou seis meses até que os investigadores descobriram um possível local onde o crime estaria ocorrendo, na Chácara Cocaia, zona sul da Capital.

No endereço, a equipe encontrou um homem que, ciente do motivo da busca, confirmou a criação dos animais no imóvel em frente à sua casa, de propriedade de outra pessoa.

No segundo endereço, os policiais foram recebidos pelo proprietário que confirmou a criação de galos no local e permitiu a entrada dos agentes.

Foi verificado que o imóvel tinha complexa estrutura, com centenas de baias onde os animais eram mantidos. Todos apresentavam características de galos usados em “rinhas”. Além disso, uma área destinada ao treinamento de combate foi localizada no terreno.

Questionado sobre a possibilidade de possuir um outro local destinado a criação dos animais, o proprietário admitiu a existência de um outro galpão, na rua Dona Benedita, no Grajaú. No local, que possuí cerca de 400 m², os agentes encontraram outras centenas de galos preparados para “rinhas”.

Foram solicitados exames periciais para os dois locais onde os animais foram localizados e as partes encaminhadas à delegacia.

De acordo com o delegado, as investigações prosseguem por meio de inquérito policial e a busca e apreensão de hoje será anexada ao processo para indicar as autuações aos responsáveis. Será verificado a existência de uma organização para esta prática criminosa que envolve “rinhas de galos” e “jogos de azar”.

Considerando a impossibilidade de designação, neste momento, de outro local para guarda de grande quantidade de galos, bem como, as boas condições oferecidas no próprio local, os animais foram apreendidos e depositados para o proprietário que se comprometeu pela guarda e cuidado enquanto se define outra destinação.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »