28/11/2019 às 11h51min - Atualizada em 28/11/2019 às 11h51min

Candidíase no verão: como prevenir e tratar?

Especialistas estimam que a doença pode afetar cerca de 75% das mulheres

Assessoria de Imprensa, Naves Coelho
Foto: Divulgação

Com a proximidade do verão, muita gente pensa em sol, praia, piscina e cachoeira. Mas, é preciso ter cuidado. Com a alta da temperatura, o uso de roupas úmidas por longo tempo pode acarretar o surgimento de doenças ginecológicas.

Usar biquíni molhado, short apertado ou roupas de tecidos sintéticos provoca um desequilíbrio na flora vaginal, aumentando a chance do desenvolvimento da Candida Albicans, o agente que normalmente causa candidíase. Estimativas apontam que a doença afeta cerca de 75% das mulheres, sendo que 5% terão mais de uma vez por ano.

Coceira intensa, vermelhidão na região genital, corrimento esbranquiçado e ardor ao urinar são alguns dos sintomas da candidíase, infecção que normalmente afeta o sexo feminino. O fungo que causa a doença está presente no corpo humano desde o nascimento, no entanto, quando há queda de imunidade, mudança do pH ou aumento da agressão externa, pode ocorrer a proliferação dos fungos.

"A candidíase é uma das maiores causas de corrimentos vaginais. Pelo menos uma vez na vida, a mulher vai ter essa doença", comenta a médica ginecologista, Dra. Luciana Barros.

A ginecologista esclarece que a candidíase não é uma doença sexualmente transmissível. Ela pode ocorrer, inclusive, em mulheres e homens que nunca tiveram relações sexuais.

Pelo fato da candidíase ter relação com a baixa imunidade, calor e umidade é comum ela reincidir. "A paciente deve tomar um antifúngico e aplicar cremes vaginais que amenizam a coceira e a vermelhidão", diz.

Ainda segundo a Dra. Luciana, usar sabonetes neutros, evitar o uso de absorventes diários e usar calcinhas de algodão são algumas dicas para a boa saúde os órgãos genitais.
 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »