08/11/2019 às 11h52min - Atualizada em 08/11/2019 às 11h52min

Até 2023, o Brasil deverá ter 2 milhões de advogados. Entenda o crescimento do mercado

TRABALHO

Diego Andrade
O mercado brasileiro de advogados deverá crescer muito. A tendência apontada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) é de que o número de profissionais na área chegue a 2 milhões até 2023, se acompanhar o nível de crescimento que fez a cifra saltar de 1 milhão de advogados em 2016 para 1.237.932 em 2019.

Uma simples conta nos mostra que o número de advogados per capita no Brasil é de 1 profissional a cada 170 habitantes. Se continuar assim, o Brasil se tornará um dos países com mais advogados per capita do mundo. Atualmente, Israel lidera o ranking com 1 advogado a cada 139 habitantes, já que o país conta com 58 mil profissionais registrados.

Isso mostra como o direito é uma das áreas mais prestigiadas do país e que atrai mais pessoas interessadas, mas que também é um dos segmentos mais concorridos do Brasil. Afinal, poucas são as áreas que podem dizer que tem um nível de competição tão alto.

Além do grande número de profissionais, o Judiciário brasileiro lida também com muito trabalho. Atualmente, estima-se que correm simultaneamente 100 milhões de processos em todas as varas e instâncias do país, o que mostra que não só o país está abarrotado de advogados, como essa quantidade de profissionais tem trabalhado incessantemente.

Com 100 milhões de processos e 1,2 milhão de advogados, a média é de 83 processos  por cada profissional em ação no mercado. É muita coisa.
Com a perspectiva desse número subindo para 2 milhões nos próximos cinco anos (o que aumentaria o número de processos para 166 milhões), a tendência é que o mercado fique ainda mais competitivo e seja difícil para um profissional da área se destacar.

A perspectiva de futuro para a área é uma das discussões que estarão em vigor na Fenalaw 2019, a maior feira jurídica da América Latina. O evento será realizado em São Paulo entre os dias 23 a 25 de outubro, no Centro de Convenções Frei Caneca.

Lá, milhares de advogados se unirão para conversar e debater os rumos da profissão, além de falar e apresentar soluções para os desafios do futuro.

Desafios do futuro: o que os advogados podem esperar do futuro da profissão?

Com o grande aumento do número de profissionais na área (afinal, estima-se um aumento de 100% de 2016 até 2023), o mercado jurídico ficará muito mais competitivo. Isso levanta uma série de desafios e necessidades para os advogados.

Na prática, os profissionais terão de suar o paletó para manter um bom nível de produtividade, já que o mercado ficará cada vez mais competitivo, com o nível de superpopulação de profissionais atingindo todas as áreas do Direito, sem exceção.

Esse é o cenário perfeito para que os advogados conheçam as lawtechs, empresas de tecnologia focadas no ambiente do Direito. Elas corresponderão a 40% de todos os expositores que estarão na Fenalaw 2019
.
Uma lawtech é uma empresa que desenvolve um software jurídico para ajudar um profissional do Direito, como um advogado, promotor ou juíz, a fazer o seu trabalho.

Existem inúmeros sistemas diferentes em funcionamento no Brasil, usando tecnologias diversas. No entanto, algumas tendências já começam a surgir nessa área também.

Uma das principais tecnologias em uso por lawtechs é a computação em nuvem, um recurso que também invadiu softwares de outras áreas.
A computação em nuvem usa uma conexão constante e de alta capacidade com a Internet para permitir que o usuário utilize um software que roda, na prática, em um servidor de outra pessoa. No caso, da empresa.

As lawtechs disponibilizam um software ou aplicativos para advogados que puxa dados que estão no servidor da empresa. Dessa forma, o profissional pode acessar os documentos de qualquer lugar.

Como eles estão tecnicamente armazenados no servidor da empresa, o advogado pode interagir com eles no seu computador de trabalho, mas também pelo smartphone. Pode acessá-los no escritório, mas também no carro, em uma reunião ou em casa.

Isso aumenta a produtividade do profissional, que passa a poder resolver questões ou consultar documentos mais rapidamente.
Além disso, a computação em nuvem garante mais segurança para o armazenamento de documentos, uma vez que os servidores corporativos usam técnicas avançadas de criptografia para proteger a comunicação com os clientes.

Dessa forma, os documentos ficam protegidos e inacessíveis, além de armazenados de forma digital, o que poupa custos e espaço físico no escritório de advocacia.

Além da competição contra humanos, competição contra robôs?
Outra tendência que promete agitar o mundo jurídico nos próximos anos é a aparição da Inteligência Artificial nos softwares da área.
Atualmente, a IA já é usada em alguns dos melhores softwares jurídicos do mercado. No entanto, ela ainda não está no estágio em que todos temem: completamente “acordada” e capaz de trabalhar sozinha.

No momento, a Inteligência Artificial é uma ferramenta que ajuda o advogado a pensar mais rapidamente, a processar dados com maior velocidade e a perceber padrões (e indicar ações) para o profissional.

O cenário apocalíptico de uma substituição total dos advogados humanos por robôs será discutido na Fenalaw 2019, claro, mas não é uma possibilidade provável.
A perspectiva é que a IA continue a avançar na área, mas como uma alternativa para o trabalho braçal dos advogados, como a checagem de notificações judiciais ou a verificação de armadilhas em um contrato.

Nesse contexto, aliás, já se fala em robôs nos EUA que são capazes de encontrar muito mais armadilhas em um contrato do que equipes inteiras de advogados humanos. Na prática, recursos do tipo deverão tornar os profissionais mais produtivos e eficientes, mas não tomarão o lugar de ninguém.

Esse ganho em produtividade, portanto, será essencial para o advogado que quiser vencer a competição que aumentará consideravelmente nos próximos anos. Quem quiser vencer essa competição terá de usar softwares jurídicos e outros recursos tecnológicos.

Todo esse cenário será debatido na Fenalaw 2019 e as tecnologias do presente serão mostradas por lá. O evento tem credenciamento gratuito e será realizado no Centro de Convenções Frei Caneca, em São Paulo, do dia 23 de outubro até o dia 25 do mesmo mês.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »