30/09/2019 às 16h49min - Atualizada em 30/09/2019 às 16h49min

Trabalho integrado com clubes e Federações, processo seletivo e competitividade interna: a estratégia que levou o Brasil a conquistar quatro medalhas no Mundial Juvenil

Mais da metade da delegação Sub-18 ficou entre os 7 melhores do mundo e país voltou do Cazaquistão com um ouro, uma prata e dois bronzes

CBJ
Foto: Divulgação
A Seleção Brasileira Sub-18 de Judô encerrou nesse domingo, 29, sua participação nas disputas do Campeonato Mundial da classe, realizado em Almaty, no Cazaquistão. Na bagagem, o país traz quatro medalhas: ouro de Anna Belém (+70kg), prata de Sarah Souza (57kg) e bronzes de Matheus Pereira (66kg) e Laura Soken (44kg). Além dos resultados individuais, o Brasil alcançou o quinto lugar na disputa por equipes.

Para o gestor das Categorias de Base da Confederação Braisleira de Judô, Marcelo Theotônio, estar entre os melhores do mundo na modalidade é fruto de uma estratégia de fomento que leva em conta o trabalho integrado da CBJ junto aos clubes e Federações, além de um processo seletivo forte que aumenta o nível técnico dos judocas.

"Além das quatro medalhas conquistadas, tivemos mais cinco atletas no bloco final dos dias de competição, o que os deixa entre os sete melhores do mundo. Mais da metade da nossa delegação chegou às finais. O bom alinhamento técnico entre a comissão técnica da CBJ e os treinadores dos judocas convocados possibilitou um aprimoramento técnico-tático que foi fundamental para estes resultados", afirmou Marcelo.

Para formar a equipe que representou o Brasil em Almaty, os atletas precisaram passar por um processo classificatório que, na visão da CBJ, aumenta a competitividade interna entre os atletas, consequentemente, melhorando o nível técnico de cada judoca.

"Como o processo de seleção vem por meio do Ranking Nacional, os judocas acirram a competitividade entre eles. Somente este ano foram cinco eventos nacionais, quatro estágios internacionais, além do Campeonato Pan-Americano e os Treinamentos de Campo. Todos estes eventos fortalecem o processo, o que gera um nível técnico mais alto e bons resultados", concluiu o gestor.

A preparação dos atletas da Seleção Brasileira Juvenil de Judô contou, por exemplo, com treinos junto com a seleção principal. Durante duas semanas, os atletas Caio Kiwada, Gustavo Gomes, Kayo Santos e Matheus Pereira, bronze em Almaty, estiveram juntos com a equipe principal no período de aclimatação para o Mundial de Tóquio.




VEJA AQUI os resultados do Mundial Juvenil de Judô 2019

CONFIRA os resultados do Mundial Juvenil de Judô 2019 por equipes

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »