27/09/2019 às 14h49min - Atualizada em 27/09/2019 às 14h49min

Riscos e vantagens de usar aplicativos para o controle do ciclo menstrual

Tecnologias como os aplicativos têm ajudado muitas mulheres a controlar o ciclo menstrual e até mesmo a programar a fertilização.

Henrique Marsura
Foto: Divulgação
A tecnologia tem auxiliado na simplificação de muitas atividades do dia a dia. Afinal, com uma rotina corrida e as pessoas assumindo cada vez mais compromissos, é realmente necessário algumas ferramentas para manter tudo sob controle. Os aplicativos podem, inclusive, auxiliar nos cuidados com a saúde feminina.
 
Uma das ferramentas que muitas mulheres têm usado no dia a dia são as que  ajudam a monitorar o ciclo menstrual. Essa é mais uma ferramenta que surgiu para ajudar a mulher no seu dia a dia e evitar surpresas desagradáveis.
 
Mas, como esses apps funcionam? Podem ser usados sozinhos, dispensando outros métodos tradicionais como a tabelinha? Ou é melhor usá-los de maneira complementar?

Como usar aplicativos
 

Bom, o básico a se saber é que a mulher marca os dias da menstruação e o próprio aplicativo quando será o próximo ciclo. Claro, é indispensável que a mulher coloque os dados de forma correta para o aplicativo fazer as contas de forma mais assertiva.
 
Se a mulher não sabe exatamente como o ciclo funciona, conseguirá visualizar melhor com o auxílio do app.

Por que os app podem ser bons aliados
 

Os aplicativos podem ser bons aliados não apenas para controle do ciclo menstrual, mas também em muitos outros pontos da saúde feminina, inclusive quando falamos da vida sexual. Isso porque ele faz um cálculo e é possível visualizar os dias em que a mulher está fértil.
 
Quando a famosa TPM (tensão pré-menstrual) está se aproximando, também é possível percebê-la e já procurar maneiras de amenizá-la. Isso é importante, principalmente, para quem sofre com grandes alterações nesse período, como mudança no humor, oleosidade na pele, cólicas, dores na lombar e outros sintomas.
 
Também é possível colocar diariamente informações relacionadas ao bem-estar psicológico e emocional. Assim, diante de qualquer alteração mais brusca, é recomendado procurar algum médico ou ginecologista que possa auxiliar a mulher a procurar tratamentos adequados.
 

Vantagens de usar os aplicativos
 

Usar um aplicativo para acompanhar o ciclo menstrual tem como maior vantagem o autoconhecimento. Por meio dele, é possível entender melhor as transformações do corpo durante o ciclo mensal.
 
Além disso, é uma boa forma de a mulher visualizar a sua própria saúde. É possível acompanhar se a menstruação está regulada e, por exemplo, as alterações burscas de humor. Isso é importante caso você tenha algum desconforto e precise especificar os quadros para o ginecologista.
 
Por exemplo, se a pessoa se queixa de dores, a ginecologista provavelmente vai perguntar se é durante o período menstrual ou período fértil.
 
Se a pessoa sofre com menstruação irregular, os apps conseguem mostrar exatamente com que frequência ela está vindo, se demora muito ou se é constante. Isso pode ajudar o médico a pensar o porquê desse cenário e encontrar o diagnóstico.
 
E, claro, se o objetivo é engravidar, o aplicativo pode ser o melhor amigo da mulher.
 

Pontos para ficar atenta
 

Os aplicativos ajudam a ter maior controle em relação ao ciclo menstrual. Porém, é importante tomar alguns cuidados.
 
Ele faz uma estimativa de quando é o período fértil, assim como no método da tabelinha, de acordo com o número de dias do seu ciclo. Porém, isso não isenta a utilização de métodos contraceptivos nas relações sexuais se, eventualmente, as mulheres não quiserem engravidar.
 
Assim como a tabelinha, o cálculo do aplicativo pode se equivocar, afinal, ele é puramente feito em cima de dados. Mas, sabemos que o corpo feminino tem suas variações hormonais que podem impactar diretamente no período fértil.
 
Então, se o objetivo principal na hora de usar esse tipo de aplicativo é monitorar o período fértil e evitar uma gravidez, vale a pena combinar outros métodos.
o dia a dia, eles não substituem os métodos mais tradicionais contraceptivos.
 

 

 

 

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »