27/09/2019 às 14h45min - Atualizada em 27/09/2019 às 14h45min

Saiba porque se mudar de uma casa para um apartamento é uma boa escolha

Sair de uma casa para morar em um apartamento é investir não somente em segurança e comodidade, mas também em qualidade de vida

Henrique Marsura
Foto: Divulgação
Diversos pontos influenciam na mudança de uma casa para um apartamento: segurança, maior área de lazer, praticidade... A tendência, quando planejado, é optar por um imóvel que apresente um conjunto de melhorias estruturais e pessoais quando comparado ao atual.
 
Toda mudança, porém, traz desafios, por isso é necessário fazer planejamento e adaptações prévias. Se você pensa em sair da casa e comprar apartamento novo, atente-se a algumas questões e veja como é possível aproveitar ao máximo esse novo estilo de residência.
 
Antes de concluir a escolha, leve em consideração a sua rotina e a de seus familiares, pois é a partir delas que você definirá suas prioridades. O apartamento garante um cotidiano mais seguro e prático, além de apresentar diversas facilidades que você não encontra em uma casa.
 
Confira aqui os principais aspectos e vantagens de se viver em um apartamento.
 

Os principais benefícios

Proteção

Segurança é o primeiro ponto de exigência quando o assunto é residir em grandes centros urbanos. Em pesquisa realizada pelo Datafolha, cerca de 30% dos entrevistados apontam a proteção como principal qualidade dos condomínios paulistanos.
 
Em geral, os edifícios, sobretudo os mais novos, possuem diversos equipamentos de segurança, como serviço de monitoramento e portaria 24 horas. Câmeras, leitores biométricos e táticas de defesa também são cada vez mais empregados e aperfeiçoados. Os custos dos serviços oferecidos são divididos entre todos os moradores, não pesando no orçamento individual.
 
Somado à infraestrutura padrão, há também moradores dispostos a cooperar para a garantia de segurança do condomínio. Ou seja, em uma situação de risco, por exemplo, a chance de haver uma pessoa ou grupo para auxiliar é grande.
 

Serviços

Atualmente, a maioria dos condomínios, especialmente os mais novos, contam com várias áreas de lazer e serviços. Apresentando itens diversificados, esses ambientes são capazes de atender exigências de crianças, jovens, adultos e idosos.
 
Academias, piscinas, salão de festas e de jogos, saunas e até sala de cinema fazem parte da infraestrutura dos novos edifícios, sendo considerados cada vez mais como diferenciais – visto que não há necessidade de recorrer a ambientes externos para a prática de diversas atividades.
 
Imagine agora o custo de locar ou comprar, decorar e manter por conta própria os itens encontrados nos condomínios. Até mesmo em casas de alto padrão é difícil encontrar estruturas tão completas.
 
Outra possibilidade diferenciada é a de contratação de profissionais para auxiliar em atividades como ginástica, manicure e natação. Dividindo as despesas entre os condôminos, os gastos são baixos e o leque de conveniências e serviços personalizados se amplia.
 

Manutenção prática

Preservação e cuidado do quintal, limpar a piscina, cortar a grama e levar o lixo para o local apropriado são exemplos de tarefas que precisam ser realizadas com alta frequência, que geram grandes custos e exigem dedicação de tempo.
 
Diferentemente de morar em casa, onde o morador tem total responsabilidade pela manutenção das áreas e ambientes, sejam eles internos ou externos, em um apartamento, grande parte desses cuidados fica sob a total responsabilidade de profissionais específicos, garantindo, assim, facilidade e muita comodidade aos moradores.
 

Sociabilidade

Outro aspecto com marcas positivas é o fator de interação social. Ao frequentar os espaços compartilhados disponíveis no prédio, você terá a oportunidade de conhecer e se relacionar com diferentes vizinhos.
 
Essa convivência é dotada de características saudáveis, especialmente para crianças e jovens, que podem aproveitar e se divertir com pessoas da mesma faixa etária. Tudo isso sem precisar sair de casa, aproximando segurança, serviços e desenvolvimento social.
 

Saindo da casa

Os contrapontos de se viver em uma casa são justamente os fatores contrários aos apontados como positivos em um apartamento. Residir em casa, na atual agitação urbana, pode significar estar numa área exposta a maiores riscos, como invasões e assaltos.
 
Todo o custo de manutenção, e consequentes investimentos, recai sob a responsabilidade de um único morador. Quem mora em uma casa precisa lidar diariamente com a sua conservação. Embora não exista gastos com condomínio, ainda é preciso planejar uma gestão financeira eficiente para não correr riscos de ultrapassar seu orçamento.
 
Preservação, dedetização, abordagem de comerciantes e pedintes, menos segurança: todas essas adversidades são recorrentes na vida de quem mora em casa, porém são inexistentes para residentes de condomínios.
 

Investindo em qualidade de vida

As diferenças são incontestáveis, e a comodidade somada à segurança é o grande diferencial dos edifícios.
 
As grandes cidades pedem, cada vez mais, a mudança para apartamentos. Os aspectos aqui apontados são investimentos focados na melhoria da qualidade de vida – pessoal e familiar.
 
Por fim, resta apenas dizer que o custo-benefício dessa mudança é algo extremamente proveitoso, basta analisar os fatos e comparar as opções.

 

 


Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »