29/08/2019 às 15h18min - Atualizada em 29/08/2019 às 15h18min

Turismo de negócios no Brasil apresenta crescimento

Jeniffer Elaina, da Smartia Seguros
Foto: Imagem Ilustrativa
O turismo de negócios pode ser considerado um termo novo porque antes profissionais que viajavam a trabalho não eram vistos como turistas. Entretanto, esse mercado movimenta milhões e não pode ser deixado de lado.

Hospedar-se, se alimentar e se locomover são atividades de quem está passeando a lazer ou está em uma cidade para fazer negócios e, por conta da semelhança das atividades, foram consideradas turismo.

Existem algumas necessidades diferentes, porém a procura por novos clientes, fornecedores, parceiros ou para conhecer o mercado e participar de eventos fez com que o turismo de negócios ganhasse destaque e fosse segmentado.

O turismo de negócios é visto como algo positivo, pois evita que haja sazonalidade, uma vez que ocorre durante todo o ano. Outro ponto é que os estrangeiros que vêm ao Brasil para o turismo de negócios costumam gerar uma receita 33,4% maior do que os quem vêm a turismo de lazer.

Os números do turismo de negócios no Brasil
Os números apontam um crescimento de cerca de 14,7% das viagens de negócio somente no primeiro semestre de 2019 se comparado ao mesmo período do ano anterior. 

O valor que foi acumulado nesse período considerando passagens aéreas e rodoviárias, diárias de hotéis, locação de veículos e eventos foi de R$ 5,57 bilhões, o que demonstra o potencial do setor.

Somente o setor aéreo teve um crescimento de 24,8% no segmento de turismo corporativo. Isso foi conseguido mesmo com a passagem aérea tendo um aumento de 17,3%.

O transporte rodoviário também registrou um crescimento de 56,8%, que foi impulsionado após o cancelamento de voos da Avianca. Outro ponto nessa questão é que nem todas as regiões são atendidas pelos voos comerciais. 

O setor hoteleiro foi outro que se beneficiou dos números positivos, com crescimento de 25,7%. O de locação de veículo teve sua demanda acrescida de cerca de 20,6%. Nos dois casos é possível observar um aumento do valor do serviço. 

Esses dados são resultados das visitas de brasileiros e estrangeiros, sendo que em 2018 o turismo de negócios foi o segundo principal motivo para que se visitassem o país. 

Dentre os destinos mais procurados para fazer negócios se destacam algumas cidades: São Paulo (48,7%), Rio de Janeiro (19,7%), Curitiba (4,5%), Campinas (3,9%) e Porto Alegre (3,4%). 

Nesses locais, o gasto médio diário é de cerca de US$ 84,33 por pessoa, sendo que isso inclui alimentação, hospedagem, seguro viagem, transporte e outros.
Além de determinadas cidades, o país é visto com grande potencial para a realização de congressos e eventos corporativos nos mais diversos locais. 
O país lidera a 17ª posição para esse tipo de evento e, nesse caso, as cidades mais procuradas são: São Paulo, Rio de Janeiro e Foz do Iguaçu. 

O turismo de negócios traz resultados positivos para país por gerar empregos e ajudar na divulgação da cultura local e a expectativa é que ele continue em crescimento, principalmente com os preços das passagens aéreas que devem se estabilizar nos próximos meses.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »