26/08/2019 às 10h52min - Atualizada em 26/08/2019 às 10h52min

Larissa Pimenta cai para Uta Abe, mas vê evolução após primeiro Mundial Sênior

Judoca de 20 anos estreou com vitória sobre atleta de Djibouti, mas enfrentou, na segunda rodada, a japonesa atual campeã mundial

CBJ
Foto: Roberto Castro / Rededoesporte.gov.br
Há quem considere azar enfrentar a atual campeã na segunda luta de um Mundial. Mas, para Larissa Pimenta, encarar Uta Abe, do Japão, logo nas preliminares foi uma oportunidade de evoluir seu judô. Com apenas 20 anos e estreando em Mundiais Sênior nesta segunda-feira, em Tóquio, a novata brasileira mostrou maturidade ao avaliar sua participação no evento mais importante do ano.

"Não acho que tenha sido cedo demais para enfrenta-la. Eu estou aqui para lutar com qualquer atleta. Se fosse na primeira ou na última, eu daria meu melhor de qualquer forma", disse, antes de revelar a estratégia mental para tentar superar a atleta da casa. 

"A ideia era não respeitar. A maioria respeita, porque ela é a Abe. Não é faltar com respeito, é ir para cima. Quando vi que ia lutar com ela não fiquei com medo. A gente pode ganhar na vontade e eu busquei ser agressiva. Nisso, eu evoluí", concluiu Pimenta. 

Depois da aposentadoria de Érika Miranda, que dominou o meio-leve feminino do Brasil nos últimos anos conquistando cinco medalhas em Mundiais, Pimenta, que ainda está em processo de transição da seleção júnior para a principal, começou a receber oportunidades de lutar mais etapas do Circuito Mundial adulto e correspondeu às expectativas. 

Só neste ano, ela conquistou oito medalhas e subiu para a 20ª posição no ranking mundial do 52kg. Entre os seus principais resultados, estão o bronze no Grand Slam de Baku, o ouro no Campeonato Pan-Americano e o ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima, há poucas semanas do Mundial. 

Larissa ainda lutará o Mundial Júnior neste ano, em Marraquexe, em busca de uma primeira medalha em competições deste nível. 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »