09/08/2019 às 17h46min - Atualizada em 09/08/2019 às 17h46min

Mercado de cervejas artesanais cresce no Brasil, e Araçatuba já é destaque na Região

David Prates
De acordo com a Associação Brasileira de Cerveja Artesanal(Abracerva), em dez anos o Brasil foi de 70 para 700 cervejarias, fora as que não possuem registro. Em 2018, por exemplo, cerca de 185 novas fábricas foram registradas, um crescimento de 35% no ramo. Hoje o Brasil é o 3° maior produtor de cerveja artesanal do mundo, perdendo apenas para os Estados Unidos e a China.

De acordo com os dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), até setembro de 2018, constavam nos registros um crescimento de 23% no número de cervejarias artesanais no país, confirmando o crescimento deste setor. Comparado a 2017, o ranking não teve mudanças e o estado do Rio Grande do Sul continuou nas primeiras posições, totalizando 179 cervejarias artesanais. Na mesma linha, em seguida vem os estados de São Paulo, com 144, Minas Gerais com 112, Santa Catarina com 102, Paraná com 88, Rio de Janeiro com 56, entre outros. A região Sul possui, no total, 369 cervejarias, seguido do Sudeste com 328, Nordeste com 61, Centro-Oeste com 51 e Norte com 26.
 
Em Araçatuba, hoje em dia não é difícil encontrar cervejas artesanais nos supermercados, bares e restaurantes, sem contar os estabelecimentos especializados. Segundo José Marchesini Neto que é proprietário do Voth Bier Growler Station,  “vem crescendo ano a ano este mercado, basicamente a gente percebe que é um pessoal que tem contato com cerveja artesanal fora de Araçatuba e que procura a gente ou que por curiosidade conhece a voth e entra nesse mundo e não volta pro velho mundo da cerveja comercial.” 

Segundo Marchesini a cerveja preferida pelos amantes das cervejas artesanais é a IPA, e a Voth Véi é a primeira IPA registrada de Araçatuba, receita dele mesmo.

Atualmente a grande barreira que as cervejas artesanais encontram é mostrar para as pessoas que estão acostumadas a tomar as cervejas comerciais que existe um mundo diferente, o mundo das cervejas artesanais. Ainda as pessoas tem um certo receio em experimentar por conta do valor um pouco mais alto, ou às vezes as pessoas experimentam um primeiro contato com uma IPA que é uma cerveja um pouco mais amarga, acaba ficando com medo achando que todas são assim.
O grande desafio é converter “Brahmeiros” em apreciadores de cerveja artesanal. Finaliza Marchesini.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »