10/07/2019 às 13h29min - Atualizada em 10/07/2019 às 13h29min

O preço da impunidade no Brasil: homem joga ácido em ex-namorada; garota tem 38% de seu corpo queimado

O sujeito já havia passado pela polícia, mas não foi preso. Ex-namorada registrou 3 boletins de ocorrência antes de ser atacada.

MBL NEWS
Willian ao se entregar para a polícia/Mayara Araújo
Na última segunda-feira (09/07), em Pernambuco, William César dos Santos Júnior, de 30 anos, se entregou à Polícia sob a acusação de ter jogado um líquido corrosivo em sua ex-companheira de 19 anos, Mayara Araújo. A garota teve 38% do seu corpo queimado.

O crime aconteceu na noite de quinta-feira (04/07), na Zona Norte do Recife. Na sexta (05/07), a polícia deteve dois suspeitos. Um deles, Paulo Henrique Vieira dos Santos, de 23 anos, apontado como participante da ação, teve a prisão preventiva decretada pela Justiça.

“Ele disse que planejou a ação porque tem um filho com Mayara e não tinha acesso à criança, mas essa versão foi desmentida pela própria mãe dele, que nos disse que ele tinha total acesso ao filho. Não foi simplesmente um susto, porque ele é agente da saúde e tinha conhecimento do líquido que estava manuseando. Ele fez com a intenção de deformá-la”, contou a delegada do caso. 

De acordo com a Polícia Civil, ambos são reincidentes: William já havia sido condenado por estelionato em 2016, mas não foi preso; e Paulo tem passagens pelo sistema prisional por tráfico de drogas. Esse é o preço da impunidade no Brasil.
 
Além disso, Mayara já havia procurado a polícia outras três vezes desde maio deste ano. “Ela narrou que ele ameaçou matá-la num primeiro momento e, num segundo episódio, a ameaça foi velada, enviada através de um vídeo. Na terceira vez, ele disse à mãe de Mayara que ela iria pagar por uma briga com a atual companheira dele”, disse a delegada.

Ainda que com três boletins de ocorrência registrados, em menos de dois meses, a Polícia Civil não foi capaz de proteger Mayara de seu agressor. A Justiça no Brasil tarda e é falha.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »