18/06/2019 às 15h44min - Atualizada em 18/06/2019 às 15h44min

Ribeirão Preto registra aumento de casos de dengue em junho

Foram registrados 113 casos nos primeiros 17 dias do mês; Secretaria da Saúde alerta a população para eliminar água parada

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
O Boletim Epidemiológico divulgado nesta terça-feira, 18 de junho, pelo Departamento de Vigilância em Saúde e Planejamento, órgão da Secretaria Municipal da Saúde, mostra que na primeira quinzena de junho foram confirmados 113 casos de dengue em Ribeirão Preto.

A comparação com o mesmo período de 2018 não pode ser feita porque a Secretaria da Saúde não contabilizava os dados quinzenalmente. O número de casos registrados na cidade durante todo o mês de junho de 2018 foi de 17 pessoas.

Já o número de casos em 2019 é de 6.955 pessoas infectadas pela doença. O número é 3.309,31% maior que o registrado no mesmo período de 2018, quando ocorreram 204 registros de dengue. 

O secretário da Saúde de Ribeirão Preto, Sandro Scarpelini, afirma que o trabalho de combate e prevenção à dengue na cidade está sendo feito sem trégua. São ações diárias, com equipes de Agentes de Combate a Endemias nas ruas em campanhas de conscientização, treinamentos de equipes e nebulização frequente e os números estão dentro dos parâmetros aceitáveis, se comparado às demais cidades do Estado.

 “80% dos casos de dengue estão nas casas das pessoas e a conscientização da população é fundamental. Cada morador deve cuidar do seu quintal, eliminando focos de água parada para que o mosquito não se desenvolva, para continuarmos a manter a doença na cidade em patamares baixos e para que não ocorram mais mortes. Portanto, mais uma vez estamos aqui para reforçar que, além das nossas atividades, precisamos muito da participação da população limpando sua própria casa” alerta o titular da pasta da Saúde.

A diretora do Departamento de Vigilância em Saúde da pasta, Luzia Marcia Romanholi Passos, ressalta que as ações de mobilização promovidas pela Prefeitura, aliadas à conscientização da população, são os únicos caminhos para evitar as doenças que o mosquito transmite.

“Pedimos às pessoas que eliminem qualquer foco de água parada em suas casas, onde o mosquito põe suas larvas. Somente assim conseguiremos vencer a batalha contra a dengue em Ribeirão Preto”, orienta.

Dois óbitos na cidade

No dia 25 de abril, a Secretaria Municipal da Saúde confirmou o registro de duas vítimas fatais em Ribeirão Preto, em decorrência de casos graves de dengue. Os pacientes são um homem de 73 anos, hospitalizado por causa de dengue durante 16 dias, portador de doenças associadas, que evoluiu com pneumonia e faleceu no dia 22 de abril, e uma mulher de 44 anos, também portadora de doenças associadas, que esteve internada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da avenida Treze de Maio e faleceu  também na segunda-feira, 22, com diagnóstico definitivo para dengue no dia 23.

Chikungunya, zika vírus, microcefalia e febre amarela e gripe H1N1

Já para a chikungunya, a primeira quinzena de junho não registrou nenhum caso de doença. Em abril de 2018 houve um caso confirmado.

Na primeira quinzena de junho de 2019 foram notificados e investigados dois casos de zika vírus, e nenhum confirmado.

Casos de microcefalia ou outras alterações neurológicas possivelmente relacionadas à infecção pelo zika vírus também não foram registrados na primeira quinzena de junho de 2019.

De acordo com o Boletim Epidemiológico, não houve registro de febre amarela na primeira quinzena de junho deste ano.  Desde 2016 não há registro de casos da doença em Ribeirão Preto.

Com relação à Síndrome Respiratória Aguda Grave (gripe causada pelo vírus Influenza H1N1), não foi confirmado nenhum caso da doença na primeira quinzena de junho deste ano.
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »