05/06/2019 às 16h27min - Atualizada em 05/06/2019 às 16h27min

Peruano é denunciado pelo Ministério Público por estupro de jovem na capital paulista

Promotoria pediu expulsão do país após cumprimento de pena

MPSP
O peruano Fred Chahuaylla Palomino foi denunciado nesta quarta-feira (5/6) pela promotora de Justiça Celeste Leite dos Santos por ter estuprado uma jovem de 18 anos na capital paulista. O crime aconteceu em maio deste ano.  

De acordo com a Promotoria, Palomino transitava de carro quando abordou a vítima. Após perguntá-la repetidas vezes sobre a localização de um banco 24 horas, o denunciado sugeriu que a jovem entrasse no veículo para indicar onde ficava o estabelecimento. Em certa altura, Palomino estacionou o carro e identificou-se como médico, perguntando se a vítima tinha namorado e se já havia tido relações sexuais. "Após obter a informação de que o denunciado era médico, a vítima comentou que possuía problemas de saúde, dores na lombar, virilha e quadril, acreditando que pudesse ter a ajuda de Fred", diz a denúncia. 

Afirmando que examinaria a vítima, Palomino passou a apalpá-la, inclusive por dentro da roupa. Momentos depois, a vítima disse ao denunciado que ele a estava machucando, e o denunciado resolveu sair do local onde tinha estacionado, dirigindo-se às proximidades da igreja frequentada pela jovem. No local, Palomino praticou ato sexual sem o consentimento da vítima, e sem o uso de preservativo. Depois do crime, o homem levou a jovem a uma farmácia, onde comprou uma pílula do dia seguinte e entregou a ela, dizendo que não queria ter filho. 

A promotora de Justiça responsável pela denúncia é uma das idealizadoras do Projeto Acolhimento de Vítimas, Análise e Resolução de Conflitos (Avarc), que tem entre seus objetivos instituir um modelo de gestão integrada para Promotorias e Procuradorias de Justiça de modo a combater a vitimização, oferecer alternativas a autores de determinados delitos e reduzir a subnotificação de crimes. A iniciativa foi escolhida para a segunda fase do Prêmio CNMP 2019.

Ao oferecer a denúncia, Celeste pediu, além da condenação do responsável pelo crime, fixação dos danos morais e materiais causados à vítima e a expulsão de Palomino do país após o cumprimento integral da pena imposta. A promotora enviou ofício à vítima informando da disponibilidade do Ministério Público em atendê-la pelo Projeto Avarc, com esclarecimentos sobre o pedido de reparação de danos materiais e morais. 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »