04/06/2019 às 15h16min - Atualizada em 04/06/2019 às 15h16min

Homem recebe em casa visita de cerca de 100 maritacas diariamente

Instituto Anda
Maritacas visitam casa de autônomo diariamente (Foto: Marcelo Mantu)
O autônomo Marcelo Mantu, de 49 anos, recebe diariamente, em sua casa em Itanhaém (SP), a visita de cerca de 100 maritacas. Para atrair as aves, que vivem em liberdade, ele coloca cerca de 15 kg de frutas e sementes, compradas por ele, nos galhos das árvores da residência.
 
“Sou um grande admirador da natureza e os pássaros e aves me encantam. A natureza responde tudo que você a oferece. Isso me fascina”, afirmou Mantu, que alimenta aves há mais de cinco anos em sua casa, no bairro Cibratel I. 



Mantu conta que tudo começou com uma grande quantidade de pássaros sobrevoando a casa dele. Foi então que o autônomo decidiu colocar banana e mamão no galho de uma árvore plantada em seu quintal.

“No primeiro momento desciam uns quatro pássaros. Mas, há cerca de três anos, os periquitos revoavam pela minha casa. Percebi que não tinha estrutura para todos descerem, então resolvi plantar uma árvore aroeira, que tem grandes galhos”, explicou. Foi então que todas as aves passaram a descer até o quintal de Mantu.

“Tem quase 100 pássaros que revezam para se alimentar na minha casa todos os dias. É uma coisa linda, eu agradeço muito a Deus por ter essa oportunidade”, disse.



Além da aroeira, uma jabuticabeira também está plantada no quintal do autônomo, além de outras espécies de árvores. Todas foram colocadas no local para dar qualidade de vida às aves.

O médico veterinário André Luis Andrade aprovou a atitude de Mantu e incentivou a prática de atrair aves, mas mantê-las em liberdade. “Se a pessoa colocar fruta, eles sempre vão lá. Ao invés de deixar o animal em gaiola, pode atrair a ave até a casa e mantê-la livre. É um bom exemplo a ser seguido”, afirmou.

“Eu fico impressionado. São diversas espécies que aparecem aqui, até mesmo sabiás. É muito gratificante”, concluiu Mantu.
 

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »