12/03/2019 às 08h19min - Atualizada em 12/03/2019 às 08h19min

Dilador exige novo plano de contingência e Samar promete duas bombas reservas

Assessoria de Imprensa
Na manhã desta segunda-feira (11), o prefeito de Araçatuba, Dilador Borges, e vereadores se reuniram com diretores da Samar e da DAEA Agência Reguladora, para discutirem o problema no sistema de abastecimento do Bairro Jussara, que afetou os bairros vizinhos.

Na sexta-feira da semana passada (8), a Samar (Soluções Ambientais de Araçatuba) anunciou manutenção de substituição de registros de redes adutoras, na esquina da rua Governador Pedro de Toledo com a rua Luís Nogueira Martins e no cruzamento das ruas Cussy de Almeida e Paraguai, com previsão de afetar 46 bairros e adjacências. Na manhã de segunda-feira (11), a reunião contou com reclamações dos vereadores Gilberto Batata Mantovani, Jaime José da Silva e Rivael Papinha, sobre os oito bairros ainda afetados, Claudionor Cinti, Moreira, Morada dos Nobres, Esplanada, Guanabara, Pedro Perri, Nobre Ville e Lago Azul, que permaneceram sem água até a segunda-feira.

Rondinaldo Lima, diretor técnico da Samar, informa que uma nova bomba tem previsão de chegada às 19h de segunda-feira, com troca a ser realizada durante a madrugada, e que o abastecimento voltará à normalidade já na manha desta terça-feira (12).

Ele explicou que, no final de semana, a empresa precisou substituir a bomba do poço que alimenta o sistema, que queimou na sexta-feira (8). “No sábado (9), uma nova peça foi colocada, porém, também deu problema. Uma terceira bomba foi instalada, em caráter emergencial, mas estava fora da especificação necessária, que é de 280 m³/h. A bomba instalada é de 180 m³/h, funciona, mas está operando em apenas 60 m³/h, muito abaixo da capacidade”, descreve.

Após questionamentos e respostas entre os representantes dos poderes Executivo e Legislativo araçatubenses e os representantes da Samar e da agência reguladora, a reunião terminou com exigência por parte da administração municipal e promessa da administradora.

“Determinamos, junto à agência reguladora e à Samar, que haja uma revisão no Plano de Contingência e que um novo parâmetro de riscos e providências seja estabelecido para que evitemos outra ocorrência como esta. Reconhecemos a responsabilidade da empresa e a qualidade de seus serviços, mas entendemos que esse fato, por mais que seja a primeira vez que aconteça, deve ser evitado e que haja infraestrutura capaz de prestar socorro emergencial, para que nossa população não fique desamparada”, declara o prefeito.

Lima classifica o ocorrido como fatalidade e faz previsão otimista. “O plano de contingência foi feito com base no histórico de problemas e capacidades locais e do sistema, mas foi superado por uma seqüência de fatores, que ocorreram em ritmo e proporção nunca antes registrada, tanto naturais como de coincidências de falha mecânica, mas não humana. A empresa se responsabiliza por trabalhar intensamente para restabelecer a totalidade do abastecimento e garantirá, já de imediato, a provisão de duas bombas reservas para socorro do sistema”, promete.

A Samar ainda informa que, para minimizar o problema, três caminhões-pipa estão levando água àquela região da cidade, distribuídos em três localidades: na rua Lions Clube, em frente aos Bombeiros, no bairro Morada dos Nobres; entre as ruas Antonio Bazarqui Primo e Antonio Eufrásio de Toledo, no bairro Claudionor Cinti; e em frente à escola EMEB Antonio Rodrigues Martins Neto, no bairro Lago Azul, e entre as ruas Afonso Machado Gomes e Adolfo Heth.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »