26/02/2019 às 16h54min - Atualizada em 26/02/2019 às 16h54min

Ataques cardíacos e AVCs aumentam 20% durante o carnaval

Cardiologista dá dicas para manter o coração saudável durante a folia; uso excessivo de bebidas e consumo de drogas pode ser fatal nos dias de festa

Dr Flavio Salatino
Assessoria de Imprensa, Marcelo Teixeira
Dr Flavio Salatino, Médico Cardiologista
Uma das festas mais aguardadas pelos brasileiros, o Carnaval, pode resultar em sérios danos para quem não se cuida, segundo o Instituto Nacional de Cardiologia (INC). Embora não haja dados precisos relacionados ao tema, a percepção dos cardiologistas é que a data vem acompanhada de um aumento no número de AVCs (Acidentes Vasculares Cerebrais) e ataques cardíacos. E, de acordo com estimativa do INC, durante a festa os casos dos dois problemas chegam a aumentar em 20%. Dentre as principais causas dessas situações estão o excesso de bebidas alcoólicas, poucas horas de descanso entre uma folia e outra, a má alimentação dos foliões e, principalmente, o uso de drogas ilícitas.
 
Para o cardiologista de Araçatuba (SP), Flávio Salatino, muitos jovens que fazem uso de bebidas alcóolicas ou de entorpecentes não sabem que têm algum problema cardíaco e essa situação é muito perigosa. Dois terços dos infartos ocorrem em até três horas após o consumo de cocaína, de acordo com estudo a Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp). "Se, ao primeiro sinal, o paciente não receber o atendimento necessário, ele pode morrer", alerta Salatino. A orientação básica do médico é que essas situações sejam evitadas. "É preciso procurar um equilíbrio, buscando não exagerar na dose da bebida, pois além de correr sérios riscos de saúde, o excesso acaba fazendo com que o folião se sinta mal por vários dias, deixando de aproveitar o feriado", comenta.
 
Outros cuidados a serem tomados dizem respeito à hidratação e à alimentação. É que a festa chega no auge do verão, com altas temperaturas, fazendo o corpo perder grande quantidade de líquidos. Por isso, é importante ingerir água regularmente. Os alimentos devem ser leves, como frutas, verduras e hortaliças. Além de auxiliar na digestão, a alimentação mais balanceada não deixará a sensação de estufamento. "Por mais que você queira aproveitar ao máximo os dias de carnaval, respeite o seu corpo. Quando houver sinais de cansaço, procure descansar. Uma média de oito horas de sono é o ideal para que não corra risco de queda de pressão ou mal súbito", orienta Flávio Salatino.
 
Doenças cardíacas
 
Segundo o Ministério da Saúde, as doenças cardiovasculares são responsáveis por 29,4% de todas as mortes registradas no Brasil em um ano. Isso significa que mais de 300 mil pessoas falecem principalmente de infarto e acidente vascular cerebral (derrame) em um ano. A alta frequência do problema coloca o País entre os 10 países com maior índice de mortes por doenças cardiovasculares. Entre os principais males que podem atingir o coração estão a insuficiência coronariana e a insuficiência cardíaca, cujas causas mais comuns são a própria doença coronariana e a hipertensão.
 
Dez Mandamentos
 
O cardiologista Flávio Salatino lembra que o Instituto Nacional de Cardiologia (INC) elegeu os "10 Mandamentos" a serem seguidos durante o Carnaval para não sobrecarregar o coração, e que devem te guiar antes e durante a folia.
 
1 – Todo excesso será castigado: Não é proibido que hipertensos, diabéticos e pessoas com doença valvar ou nas coronárias brinquem durante o período. Mas, quem pretende cair na folia e já teve problemas no coração, deve consultar um cardiologista para garantir a boa performance durante a festa.
 
2 – É do check-up que elas gostam mais: O Carnaval é uma verdadeira maratona de atividades físicas. E, antes de fazer qualquer exercício, mesmo para quem sempre foi saudável, é recomendado procurar um médico para avaliar seu condicionamento físico.
 
3 – Exercitar-se é preciso: Aqueles que vão sair atrás dos blocos ou irão desfilar em escola de samba devem se preparar! É recomendado fazer exercícios físicos durante 40 minutos, cinco vezes por semana. Caminhadas intercaladas com pequenas corridas, hidroginástica e esteira ou bicicleta são boas opções.
 
4 – Cachaça não é água não: Mantenha sempre o organismo hidratado. Além de muita água, é indicada a ingestão de isotônicos, água-de-coco e suco de laranja ou abacaxi com hortelã.
 
5 – O dia já vem raiando e o calor também: A incidência do sol forte por horas e a aglomeração de foliões podem provocar queda na pressão arterial, dores de cabeça e até desmaios. Por isso, tenha sempre uma garrafinha de água à mão, use roupas leves e procure lugares com sombra para se abrigar durante o percurso dos blocos.
 
6 – 'Larga mão' desse feijão: Nada de abusar da feijoada! No Carnaval, muitos se esquecem de consumir alimentos saudáveis, como saladas e pratos leves, que as altas temperaturas do verão pedem. O consumo de gorduras aumenta o colesterol, que é um dos fatores de risco para o infarto.
 
7 – Nós temos lancheiras: Para quem vai pular de um bloco para o outro, é mais saudável levar o seu sanduíche de casa. Outras dicas leves e práticas são as frutas, que alimentam e ajudam a hidratar, como abacaxi, melancia, melão, pera, maçã e tangerina.
 
8 – Nada de dietas milagrosas: Não dê ouvido a dietas milagrosas, que prometem a perda de peso em poucos dias. Fechar a boca na semana anterior ou durante o Carnaval não resolve e ainda deixa o organismo fraco, o que pode ocasionar uma hipoglicemia (perda de açúcar no sangue), comprometendo as atividades que exigem esforço.
 
9 – A pressão arterial não sobe mais: O hipertenso deve reduzir o sal e consumir frutas que tenham potássio, como banana, laranja, melão, caju e frutas secas. É importante verificar sempre a pressão e mantê-la sob controle. Dicas: retirar o saleiro da mesa, usar leite desnatado e seus derivados (sem sal), comer peixe pelo menos duas vezes na semana, dar preferência às carnes brancas e carne magra de boi e evitar temperos industrializados.
 
10 – Só risos e alegria: Em caso de estresse, procure controlar-se. O Carnaval é uma festa que ocorre apenas uma vez por ano. Então, lembre-se disso e respire fundo antes de perder a paciência. Caminhadas diárias por pelo menos 30 minutos ajudam a acalmar. Aliás, a atividade física com orientação é sempre um bom remédio.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »