22/02/2019 às 09h49min - Atualizada em 22/02/2019 às 09h49min

Desembargador acaba com circo petista

Decisão prevê até R$ 500 mil de multa diária

MBL NEWS
O desembargador do Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR), Fernando Paulino da Silva Wolff Filho, revogou, nesta quinta-feira (21), a sua liminar que permitia manifestações e reuniões da Vigília Lula Livre nas proximidades da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. 

Wolff Filho afirma que “conforme informações circunstanciadas prestadas pela Polícia Militar, que vem acompanhando dia após dia a movimentação dos cidadãos no entorno da Superintendência da Polícia Federal, lamentavelmente a região continua sendo frequentada por grupos de pessoas que não cumprem os termos do acordo, tampouco as limitações estabelecidas na liminar por mim inicialmente deferida.”

“Diante desse cenário e considerando, no caso concreto, que o direito à privacidade e segurança dos moradores do local indubitavelmente deve prevalecer frente ao direito de reunião de manifestantes (muitos dos quais indeterminados), entendo por bem REVOGAR a liminar por mim inicialmente proferida” apontou o magistrado.

O grupo permanecia no local desde 2018, quando o presidiário Lula foi condenado pela operação Lava Jato. A deputada Gleise Hoffman, nesta sexta-feira (22) prometeu apresentar recurso no Supremo Tribunal Federal.

A decisão do desembargador restabelece “a proibição integral de toda e qualquer manifestação nas vias públicas que circundam a Superintendência da Policia Federal, ficando a Polícia Militar autorizada a retirar das vias publicas toda e qualquer pessoa que pratique em qualquer dia e horário atos ostensivos de manifestação (pró ou contra Lula) nas áreas descritas na inicial pelo Município de Curitiba, detendo-os em flagrante pela prática, em tese, de crime de desobediência”.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »