08/02/2019 às 09h31min - Atualizada em 08/02/2019 às 09h31min

Theatro Municipal do Rio digitaliza 8 mil documentos de acervo

A iniciativa faz parte das comemorações dos 110 anos do teatro

Agência Brasil
O Theatro Municipal do Rio de Janeiro iniciou, como parte das comemorações de seus 110 anos, a entrega para o público 8 mil documentos digitalizados em seu site, que retratam espetáculos realizados desde a inauguração, em 1909. Os 110 anos do museu serão completados em 14 de julho.

No acervo, é possível encontrar programas de apresentações, fotos e matérias de jornais. A chefe do Centro de Documentação (Cedoc) do Theatro Municipal, Fátima Gonçalves, disse à Agência Brasil que o trabalho, de quatro anos, envolveu equipe do próprio teatro. “Estamos entregando 8 mil documentos na íntegra e a gente espera que o restante [do acervo] venha para o público muito antes do previsto.” A documentação disponível corresponde aos primeiros 50 anos de atividades.

Segundo o presidente do teatro, Aldo Mussi, a digitalização dos 60 anos restantes já foi iniciada.

Fátima Gonçalves destacou, entre os documentos digitalizados, está o de inauguração do teatro, no dia 14 de setembro de 1909; a peça Mambembe, com Fernanda Montenegro e Sérgio Britto; da Companhia de Teatro dos 7, comemorativo ao cinquentenário; a apresentação da peça Dom João Tenório, que teve figurinos e cenários assinados por Salvador Dalí, em dezembro de 1959.

Programa da peça O Mambembe

Programa da peça O Mambembe



Da vasta lista, constam também a primeira apresentação completa do balé Lago dos Cisnes para a América Latina, em 1959; a estreia da cantora lírica Bidu Sayão em O Barbeiro de Sevilha, em julho de 1926, quando ela integrava a Companhia Italiana do Teatro Constanzi; a estreia da peça Vestido de Noiva, de Nelson Rodrigues, em dezembro de 1943, considerada “um divisor de águas em relação à discussão de uma nova moralidade e dos temas tabus na sociedade da época”; a primeira audição mundial da ópera Izaht, de Villa-Lobos, em 1958; e a apresentação da ópera Orfeu da Conceição, de Vinicius de Moraes, com música de Tom Jobim e cenário de Oscar Niemeyer, em 1956.

Programa da Inauguração do Theatro Municipal do Rio, no dia 14 de setembro de 1909

Programa da Inauguração do Theatro Municipal do Rio, no dia 14 de setembro de 1909



“A gente tem muita coisa para rememorar”, afirmou a chefe do Cedoc, citando o recital do compositor e pianista russo Igor Stravinsky, em 1936, e a apresentação do também compositor clássico Richard Strauss, em 1922.

Fátima Gonçalves relembra que, de 1909 a 1959, o Theatro Municipal era considerado a principal instituição de cultura do antigo Distrito Federal. “Tudo que era nome famoso, tudo que era moda, se apresentava aqui”. Um exemplo foi a cantora lírica grega Maria Callas, que se apresentou em setembro de 1951. “A gente teve toda essa efervescência dentro do Theatro Municipal e, agora, o público vai poder se deliciar com essa história toda."

Para fazer a consulta, o interessado deve acessar a página, buscar a opção Centro de Documentação e clicar em Acesso à Pesquisa. Na nova janela, é preciso entrar em Acesse o acervo on line e, em seguida, na outra janela, clicar na caixa Museu, FTM – Centro de Documentação do Theatro Municipal.

110 anos de atividades em julho

A data de comemoração é 14 de julho
Aldo Mussi assumiu a presidência do Theatro Municipal do Rio em fevereiro e tem pela frente a tarefa de deixar o principal palco cultural da cidade pronto para celebração dos 110 anos de atividades em julho. A casa passa por uma reforma geral e a partir do próximo mês retoma a programação de óperas e balés, que terá o auge em julho, mês do aniversário.

A ideia é comemorar os 110 anos de existência com uma grande ópera, reunindo todos os corpos artísticos do Municipal: balé, coro e orquestra com solistas. Mussi conta que a reforma passa pelo palco, partes cênicas, iluminação, piso e otimização do ar-condicionado, o “que há dez anos não era feito”.

Até o lustre principal do teatro, feito na Inglaterra, e que fica localizado na plateia desde a inauguração, em 1909, está sendo restaurado. O serviço exigiu a contratação de um restaurador praticante de rapel (esporte que envolve a escalada das altas montanhas) para corrigir imperfeições no teto. O lustre voltará ao seu lugar no próximo dia 15.

Programação
Mussi antecipou que a programação de aniversário terá a apresentação de dois balés e duas óperas, mas não revelou os nomes. O trabalho será feito em conjunto com o diretor musical, maestro Luiz Malheiro. Audições internas já começaram e são feitas diariamente com coristas do teatro para seleção de alguns papéis.

O presidente pretende convidar brasileiros com carreira no exterior, tanto do balé como da ópera e da música, para as apresentações no Municipal. Além disso, o teatro está acertando a tempo rada internacional, como a cooperação com a produtora Dell’Arte, com o Balé Nacional da China, com orquestras da Inglaterra, do Canadá, da França e com a Ópera de Pequim.

 Theatro Municipal do Rio de Janeiro completa 109 anos

Theatro Municipal do Rio de Janeiro completa 109 anos


Theatro Municipal do Rio de Janeiro completa 110 anos em 2019 - Arquivo/Fernando Frazão/Agência Brasil

As comemorações marcarão também a volta do sistema de portas abertas, em que toda a programação do dia será gratuita. Aldo Mussi informou que a sessão de domingo, 11h, será aberta ao público, com ingressos a R$ 1. “Tudo que for disponível à noite vai ter sessão no domingo pela manhã aberta a todo mundo”.

O Municipal vai dar continuidade ao trabalho de formação de plateias, direcionado a escolas públicas e entidades da área de cultura.

Crise financeira
Sobre a crise financeira enfrentada pelo museu nos anos anteriores, Mussi garantiu o pagamento dos salários e que o novo governo do estado tem o compromisso de restaurar as finanças, as equipes e estruturas. “Está tudo em dia”, disse. A meta, segundo ele, é equilibrar as contas e, para isso, será preciso um semestre de arrumações internas.


 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »