01/02/2019 às 15h40min - Atualizada em 01/02/2019 às 15h40min

Meu filho não quer ir para a escola. O que fazer?

Entenda quais caminhos podem ajudar os pais a administrar uma situação de recusa escolar

Unimed
Foto: Imagem Ilustrativa
Depois de um longo período de férias, é difícil voltar à rotina em qualquer fase da vida. Mas voltar à escola, para muitas crianças, pode ser um martírio: acordar cedo, prestar atenção na aula, fazer atividades, lição de casa... São tantos compromissos que muitos estudantes se recusam a voltar à realidade escolar, mesmo sabendo que, por outro lado, também reencontrarão os amigos.

Evitar ir à escola, inventando doenças, chorando ou se agarrando aos pais para não sair de casa, pode ser apenas um sinal de uma pequena regressão nessa fase de independência, o que pode acontecer, principalmente, nos anos iniciais do ensino fundamental.

Essa recusa às aulas pode ser notada tanto ao mudar de escola, quanto ao ingressar no ensino fundamental. Nesse caso, os especialistas afirmam que é preciso muita compreensão, pois além do apego à escola antiga, existe o medo de perder o contato com os amigos, a ansiedade, a angústia e a insegurança que vem do novo, no caso a nova escola.

Mas com cuidado, carinho e atenção dos pais – e também dos professores – é possível retomar os estudos e o interesse do estudante pelo ambiente escolar em poucas semanas.

Abaixo, confira algumas dicas de como fazer esta adaptação sem sofrimento.



- O primeiro passo pode ser mudar a rotina das crianças uma semana antes de começar as aulas, principalmente para aquelas que acordarão cedo para ir à escola. Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), crianças de 5 a 17 anos precisam dormir nove horas por noite. É durante o sono que a memória é consolidada e tudo o que foi visto no dia anterior é armazenado. Além disso, o sono reparador deixa a criança mais disposta. Até duas horas antes de dormir, retire delas os aparelhos que podem atrapalhar o sono, como celular, tablet e TV.

- Acompanhe o dia a dia da criança na escola desde os primeiros dias de aula, para acompanhar o seu desempenho e não deixar que ela desanime. Converse com ela, não para cobrar resultado, e sim para mostrar o quanto você se preocupa com o seu bem-estar na escola.




- Se o seu filho estiver mudando de escola, a dica é levá-lo antes ao local para conhecer, falar das vantagens do novo lugar, explicar que ele fará novos amigos, que o ambiente será bem legal. Envolva-o desde a compra do material escolar ao uniforme, para ajudá-lo a se familiarizar de forma positiva com a novidade.

- É importante que os pais criem um vínculo com o professor, para trocar informações sobre as particularidades do filho em sala de aula.




- O medo de perder os amiguinhos da escola antiga pode ser grande, então, antes de começarem as aulas, reúna alguns deles em um encontro, para que o seu filho sinta que não perderá os antigos amigos.

- Converse com o seu filho, envolva-o nesse momento para que se sinta seguro para fazer novas amizades e renovar o aprendizado na nova escola. Fale, mas também ouça as inseguranças dele e o tranquili
ze.



- Se a criança for pequena, dê a ela um brinquedo que goste muito para levar à escola e tê-lo como companheiro nesse período de adaptação. Também é importante conversar com a escola e verificar se, na primeira semana, é possível que a criança fique um período menor, até se adaptar, ou que o pai ou a mãe permaneça na escola por algum período até que o pequeno se sinta seguro.

- Se mesmo com toda essa preparação, depois de três a quatro semanas, a criança continuar resistindo em ir à escola, é preciso conversar com ela e saber o que a incomoda, e também falar com a escola, para juntos decidirem o melhor caminho para que essa adaptação seja menos traumática.

Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »