19/12/2018 às 10h46min - Atualizada em 19/12/2018 às 10h46min

Prefeitura de São Paulo inicia trabalhos de recuperação do viaduto da Marginal Pinheiros

Após escorar e reerguer a estrutura, trabalho de recuperação do viaduto já começou. Será mais rápido e vai custar um terço do que a demolição

Assessoria de Imprensa
Foto: Divulgação
O prefeito Bruno Covas, acompanhado dos secretários de Infraestrutura Urbana e Obras (SIURB), Vitor Aly, e de Mobilidade e Transportes (SMT), João Octaviano Machado Neto, anunciou na manhã desta segunda-feira (17) os próximos passos no processo de recuperação do viaduto da Marginal Pinheiros, que cedeu no dia 15 de novembro.

Com o sucesso no processo de escoramento e elevação da estrutura, já começaram os trabalhos para reforma dos dois pilares de apoio e da viga que se rompeu, além da reconstrução do asfalto na via de rodagem. A estimativa é que os trabalhos sejam concluídos ao longo de 5 meses.

“Desde o primeiro momento a Prefeitura começou a realizar estudos e avaliações para optar entre a demolição da estrutura e reconstrução do viaduto ou pela recuperação dos danos”, afirma Bruno Covas.

“Chegamos à conclusão de que o processo de demolição e reconstrução levaria entre 2,5 e 3 anos, com custo de R$ 70 milhões, enquanto a recuperação, aproveitando a estrutura e o tabuleiro, deve custar menos da metade desse valor e ser concluída em 5 meses”, acrescenta. “É importante também esclarecer que não há nenhum comprometimento da segurança para o usuário.”

Causa e efeito

Assim como na maioria dos desastres aéreos, em que nunca um único fator é responsável pelo acidente, a equipe de especialistas da SIURB aponta uma combinação de fatores que pode ter levado à fadiga do concreto e à ruptura de parte da viga.

Já na madruga de 15 de novembro, quando aconteceu o rompimento no pilar, os esforços se concentraram em entender o que houve para que fosse escolhida a melhor solução, considerando segurança e confiabilidade que um viaduto numa cidade como São Paulo deve ter.

Primeiramente foi realizado o escoramento de 120 dos 200 metros totais da estrutura. Um pilar de alívio também foi instalado. A segurança dos trabalhadores da obra e dos usuários dos trens da CPTM que passam sob o viaduto foi prioridade desde o início.

Após o escoramento, foram colocadas as 10 estacas e a base de concreto para a operação de elevação da estrutura. Foram usados nessa etapa 6 macacos hidráulicos com capacidade para erguer 300 toneladas cada.

Também foi constituído o Grupo de Gestão e Manutenção de Obras de Arte, que está implementando um programa de vistoria e manutenção permanente de pontes, viadutos, pontilhões, passarelas, passagens inferiores, túneis e complexos viários.

Mitigação do trânsito

Em paralelo às decisões e execuções de trabalhos da SIURB, a Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT), por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), também atuou desde o primeiro momento para minimizar o impacto do fechamento do viaduto no trânsito da região.

Imediatamente após o ocorrido, um trecho de cerca de 20 km da pista expressa Marginal Pinheiros precisou ser interditado, mas com a ampliação e abertura de transposições entre as pistas, esse trecho hoje é de 2,9 km.

Atualmente, a CET está concluindo as obras de construção de uma nova transposição para a pista expressa da Marginal Pinheiros, no sentido Interlagos/Castello Branco, na altura da ponte Edson de Godoy Bueno (antiga Itapaiúna). Antes dessa obra, os veículos provenientes da ponte acessavam somente a pista local da Marginal e agora passarão a ter opção de prosseguir pela pista expressa.

O acesso novo faz parte das medidas operacionais adotadas pela CET. Inaugurada em julho de 2016, a ponte Edson de Godoy Bueno tem 654 metros de extensão e interliga a Rua Itapaiúna, no Panamby, à Marginal Pinheiros, no sentido Castello Branco.

No dia 03/12, a Companhia já havia liberado um novo trecho de 2,1 km da pista expressa da Marginal Pinheiros entre a Praça Silveira Santos e a transposição (acesso) da pista expressa para a local próxima ao Shopping Villa Lobos, que foi ampliada de uma para duas faixas de rolamento.

Além das intervenções na Marginal, outras ações foram tomadas pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes:

•          A CET reforçou a equipe de agentes de trânsito ao longo da Marginal Pinheiros, e na cidade há faixas de vinil e painéis móveis de mensagens variáveis orientando os motoristas sobre a interdição;

•          A SPTrans reforçou as equipes de fiscalização das faixas exclusivas de ônibus;

•          Rodízio municipal de veículos liberado na Marginal Pinheiros, sentido Castello Branco, entre a Av. dos Bandeirantes e a Ponte dos Remédios. A medida favorece motoristas que já estão saindo da área de vigência do rodízio, para que não sejam autuados caso se vejam retidos numa eventual lentidão;

•          Acordo com a Ceagesp para antecipação em três horas da abertura dos portões para os caminhões, implantação de novas entradas e ampliação de 5 para 11 o número de faixas de acesso de caminhões ao Entreposto; e implantação de mão-dupla de direção na Rua Xavier Kraus;

•          Reunião com taxistas que aceitaram oferecer desconto de 40% em corridas solicitadas pela plataforma SPTaxi que tenham origem ou destino na área afetada pela interdição. Liberação da circulação de táxis sem passageiros em três corredores exclusivos de ônibus, enquanto durarem as obras. Criação de cinco bolsões de estacionamento para embarque e desembarque de táxis em locais próximos aos trechos mais críticos e nas proximidades de estações e terminais de transporte público, para facilitar a integração entre modais;

•          Os aplicativos se comprometeram a buscar alternativas para auxiliar os deslocamentos da população durante o período de interdição da pista expressa da Marginal Pinheiros;

•          Manutenção da faixa exclusiva para ônibus na Marginal.


É importante destacar que os agentes da CET mantêm plantão de 24 horas todos os dias da semana para acompanhar o comportamento do trânsito e oferecer melhores condições de tráfego aos usuários da via.

Orientações Gerais:   
                        
•          Ônibus circulam pela região sem alterações;
•          Mantida a faixa reversível na Av. João Dias;
•          Respeite a sinalização e velocidade das vias;
•          Ao avistar canalização de orientação na pista, reduza a velocidade do veículo para maior segurança;
•          Procure vias alternativas evitando passar nas imediações de bloqueios;
•          Utilize preferencialmente o transporte público
.
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »