18/12/2018 às 15h10min - Atualizada em 18/12/2018 às 15h10min

Campanha realiza mobilização para salvar vida de menino com leucemia, após doença matar seu irmão gêmeo

AtaNews
Foto: Arquivo
Diante da história de luta do pequeno Fernando de 3 anos, irmão gêmeo de Matheus, o qual faleceu em julho depois de lutar contra uma leucemia, o mesmo que também está com a doença não desiste da vida e necessita de ajuda. A partir disso, um grupo de pessoas de Araçatuba (SP), iniciou uma ‘’ corrente do bem’’ a procura de doadores de medula óssea compatível com o pequeno Fernando.

Ainda não se pode dizer ao certo se haverá mesmo a necessidade do transplante, uma vez que o tratamento ainda está no início e o único fato que podemos adiantar é que foram levadas amostras da medula óssea dos irmãos Matheus e Fernando à cidade de São Paulo (SP), onde serão analisadas e verificadas se são compatíveis ou seja idênticas.



A mãe, Kátia Souza de 36 anos e o pai, Edson Souza de 43, demonstram certo receio ao falar sobre o filho, uma vez que não tiveram tempo de lidar com a perda de Matheus e já iniciaram novamente uma luta contra a doença. 

Para melhor comodidade do tratamento, os pais se mudaram para Jaú (SP), enquanto os filhos mais velhos permaneceram em Araçatuba, indo para lá nos finais de semana. Fernando não permanece todo tempo no hospital e em alguns momentos fica em sua casa.

Afim de ajudar, o grupo entrou em contato com a mãe da criança, a qual solicitava a todos que passassem pela cidade, que fossem até o Hemonúcleo do Hospital de Jaú doar sangue, pois o estoque está cada vez mais baixo e a partir disso, se iniciou a mobilização que vem ganhando muita força. 



Nos dias 10 de novembro e 08 de dezembro, o grupo se dirigiu até a cidade onde realizou o cadastro de medula e doação de sangue. Em ambos os dias, os pais se comoveram com a solidariedade e agradeceram imensamente. ‘’ Nós acreditamos em um final diferente para Fernando e vamos continuar para que ele vença.’’ – disse o pai.



A próxima ida até Jaú, será no dia 12 de janeiro e a chance de encontrar um doador compatível é de 1 para cada 100 mil pessoas, então não deixe de ajudar. O que Fernando precisa não pode ser comprado por ninguém, mas pode ser doado por você.

Como ajudar
Ao se cadastrar como doador, a pessoa assina um termo de consentimento, preenche uma ficha com informações pessoais e retira uma pequena quantia de sague (5 ml). O sangue doado e analisado afim de verificar a compatibilidade.

As doações ocorrem quando há compatibilidade de 90% a 100%, ou seja, a combinação do genes do doador e do paciente deve ser idêntica ou bem próxima, para evitar risco de rejeição.

Quando identificado um doador compatível com o paciente, o REDOME (Registro de Doadores de Medula Óssea) entra em contato.

Para ser doador, a pessoa deve ter entre 18 à 55 anos, estar em bom estado de saúde, não ter doenças infecciosa ou incapacitante. 

SERVIÇO
O Hemonúcleo de Jaú fica na Rua Doná Silvéria, 150, Chácara Braz Miraglia. O telefone é (14) 3602-1200.
O Hemonúcleo de Araçatuba fica na Rua Arthur Ferreira da Costa, 330, Aviação. O telefone é (18) 2102-9400.

 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »