13/12/2018 às 08h47min - Atualizada em 13/12/2018 às 08h47min

'Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes'

Polícia Civil participa do lançamento da 2ª fase da campanha, com adesão de novos parceiros.

Polícia Civil do Estado de São Paulo
Foto: Polícia Civil
Na manhã desta quinta-feira (12), na sede do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, a Polícia Civil participou do relançamento da campanha “Juntos podemos parar o abuso sexual nos transportes”, cujo objetivo é incentivar as vítimas a denunciarem esse tipo de ocorrência.

O Delegado Geral de Polícia Adjunto, Kleber Antonio Torquato Altale, participou do evento, que contou com a presença de várias autoridades.

A campanha contra o machismo, realizada em parceria entre a Polícia Civil do Estado de São Paulo, o Tribunal de Justiça de São Paulo, empresas de transportes, Governo do Estado, Prefeitura e operadores do Direito, entrou, então, em uma segunda fase.

O objetivo principal, neste momento, é comunicar à população que a "Importunação Sexual" passou a ser crime passível de reclusão de 1 a 5 anos, em vista da promulgação da Lei nº 13.718/2018.

Nesta etapa, a campanha ganha a adesão de novas instituições que assinaram o aditivo ao convênio “Juntos Podemos Parar o Abuso Sexual nos Transportes”, totalizando 19 participantes.

Cartazes e vinhetas estimulando o apoio às vítimas e a denúncia dos abusadores são veiculados, desde o ano passado, em ônibus, trens e metrô do Estado de São Paulo. Esses meios de transporte transportam juntos, diariamente, cerca de 10 milhões de passageiros.

Como parte da convênio firmado entre as instituições, mais de 1000 funcionários das empresas de transporte e policiais civis e militares participaram de seminários de sensibilização para atendimento às vítimas.

O resultado foi o aumento de denúncias e de solidariedade. 

Participam da campanha: Polícia Civil do Estado de São Paulo, Tribunal de Justiça de São Paulo, Governo de São Paulo, Prefeitura de São Paulo, Ministério Público de São Paulo, Defensoria Pública de São Paulo, CPTM, Metrô, EMTU, SPTrans, Ordem dos Advogados do Brasil, Polícia Militar, Polícia Técnico e Científica, ViaQuatro, ViaMobilidade, EFCJ, Secretaria da Segurança Pública, Secretaria dos Transportes Metropolitanos, Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes de São Paulo e Associação Nacional dos Transportadores de Passageiros Sobre Trilhos.
 
Link
Notícias Relacionadas »
Comentários »