04/12/2018 às 11h29min - Atualizada em 04/12/2018 às 11h29min

Destinos turísticos no Brasil são prejudicados por falta de investimento

Com as férias de final de ano, Natal e Ano Novo chegando, alguns destinos turísticos nacionais sofrem com falta de investimento.

Andreia Silveira
Muitas cidades brasileiras não recebem investimento e sofrem com más condições de serviços públicos, prejudicando o turismo nacional. É fato que o turismo é um setor que está crescendo, consideravelmente, no mundo todo, de acordo com a Organização Mundial do Turismo.

E com o Brasil não é diferente, já que em 2017 cerca de 6,5 milhões de turistas estrangeiros desembarcaram no país. Esse índice é um histórico por aqui, já que apresenta uma alta de 11,1% em relação ao ano anterior, ou seja, em torno de 42 mil a mais.

Entre as cidades mais visitadas, o Rio de Janeiro lidera a lista, quando o assunto é atividades de lazer, seguida por Florianópolis e São Paulo, nessa ordem. Já para os visitantes que praticam turismo de negócios, São Paulo é a primeira opção, seguida da capital carioca e de Porto Alegre. 


Potencial turístico é desperdiçado

Mesmo com um potencial turístico tão grande, o Brasil não atrai um grande número de visitantes estrangeiros, como poderia receber. Além de o fato de que muitos brasileiros preferem passar as férias no exterior.

Mas o que acontece para que esse cenário seja uma realidade em um país com grande potencial turístico? Podemos atribuir a maior parte da culpa à falta de gestão pública, já que encontramos muitos problemas nas cidades turísticas em relação a segurança, saúde e até no abastecimento de água. 
Por outro lado, o país está despertando para o fato de que o turismo nacional não é somente voltado ao lazer, mas também uma atividade econômica.

Brasil possui riqueza em relação aos patrimônios naturais e biodiversidade


Em relação aos patrimônios naturais e biodiversidade, o Brasil é muito rico, porém, usufrui muito pouco do seu potencial turístico. Esse é um fator, como já mencionado, causado por deficiências de infraestrutura, segurança, mão de obra, entre outros.

No que diz respeito a biodiversidade, o país é o mais rico do planeta, de acordo com o WEF (Fórum Econômico Mundial), que em 2017 apontou o Brasil em primeiro lugar em relação ao potencial de recursos naturais, de uma lista que incluiu 136 países. Tanto que possui muitos destinos que favorecem a prática do ecoturismo. 

Sem contar que os recursos culturais são muito fortes e vai desde patrimônios até eventos de entretenimento e esportivos. É importante informar que nesses últimos quesitos o país possui uma estrutura turística consideravelmente boa, diferente do que ocorre em outros pontos.

Nordeste brasileiro sofre com estrutura precária

Além da estrutura precária, o Nordeste brasileiro também não conta com investimento em novos atrativos turísticos. Os visitantes reclamam sobre a falta de novidades, bem como pelos acessos precários e altos preços nos principais pontos turísticos.

Embora a região seja privilegiada com todas as belezas naturais, é preciso que se invista em novos nichos para aumentar o número de visitantes, brasileiros e estrangeiros.

Além disso, é preciso considerar que, não somente no Nordeste como em todas as regiões do país, as novas gerações querem experiências mais interativas e dinâmicas. É importante que se tenha, um local em que se concentre diversos atrativos, como áreas de lazer, centros de compras, lugares para relaxar, opções gastronômicas diferenciadas, aliadas com segurança, como um distrito turístico.

E essa necessidade é comum por todo o Brasil, em suas cidades turísticas. Hoje, o perfil do turista exige locais em que se pode ter sensações e experiências que ele não possui no seu dia a dia. 

Fontes: WEForum e OMT. 

 Site SeguroViagem.org. 
 
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »