26/10/2018 às 09h58min - Atualizada em 26/10/2018 às 09h58min

Banco de Leite Humano leva esperança ao povo moçambicano

Mães acreditam que iniciativa vai ajudar a melhorar a saúde de recém-nascidos

Portal Brasil
Banco de leite humano deve ajudar a reduzir índices de mortalidade infantil em Moçambique - Foto: Maria Clara Machado/PR
Com inauguração prevista para esta sexta-feira (26), o Banco de Leite de Moçambique já tem impacto positivo antes mesmo de entrar em operação. As moçambicanas já percebem os benefícios dessa cooperação entre o Brasil e o país africano. Para viabilizar o projeto, uma equipe do Hospital Central de Maputo começou a dar palestras sobre o aleitamento em regiões da capital. Isso sensibilizou mães que decidiram doar o leite nas próprias unidades sanitárias.  

Uma dessas mulheres é a enfermeira Isabele João. Mãe de dois filhos, ela não conseguia amamentar o primeiro por falta de tempo; o leite acabou secando. Agora, com a nova possibilidade, ela procura tirar o alimento nos bancos de doação. Além de aumentar a produção de leite, Isabele consegue manter o bom estado de saúde do filho. “Essa experiência é ótima e veio no momento certo, estávamos mesmo a precisar. São muitas crianças, muitos bebês que precisam desse leite materno. Aconselho às mães que venham abraçar essa causa”, afirmou.  

Projeto coordenado pela Agência Brasileira de Cooperação (ABC) em parceria com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), o primeiro Banco de Leite Humano de Moçambique vai contribuir com a redução da mortalidade neonatal e infantil no país. Além de capacitar moçambicanos para trabalhar na unidade, a iniciativa desenvolve atividades para compartilhar tecnologia e e apoio para adquirir equipamentos. 

Conscientização  
Outra moçambicana que já atendeu a esse chamado é Sheila Helena Miambo. Com um bebê de sete meses, ela decidiu doar depois de ver uma propaganda na televisão. “Quando fui à sala de parto, depois do nascimento da minha criança, vi uma senhora com um bebê prematuro que não conseguia amamentar, porque o leite não saia. Depois do programa na televisão, me lembrei dessa senhora e achei importante doar leite, percebi que tem algumas mães que não conseguem amamentar seus filhos”, lembrou.  

Segundo a nutricionista do Hospital Central Madalena Carmona, o trabalho para informar as mães sobre a doação tem sido bem recebido. “Elas estão informadas, veem isso na internet, já sabem da doação de leite. Quando chegamos lá, sensibilizamos. É uma causa nobre. Elas se sensibilizam a doar o leite para os bebês dos berçários”, contou.  

No caso das doações realizadas nas unidades sanitárias, a equipe do hospital leva todos os equipamentos necessários até esses locais para atender as mães interessadas em praticar a ação.  
Link
Tags »
Notícias Relacionadas »
Comentários »