• Olá visitante, seja bem-vindo!
    Entrar | Cadastre-se
  • Tempo Hoje
    SP, Araçatuba
    min 22º
    máx 29º
  • Terça, 17 de Outubro de 2017
    • Facebook
    • Twitter
    • Pinterest
    • Instagram
    • Youtube
    • Rss

Entretenimento / 5 de Janeiro de 2017 12h25

TECNOLOGIA

Sabe as campanhas contra pirataria? Elas não servem de nada, diz estudo

0 votos
TecMundo
Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus Compartilhe no Pinterest
Foto: TecMundo
O TorrentFreak trouxe um estudo interessante, realizado pela Universidade de Macquarie, na Austrália: as campanhas contra pirataria, realizadas por governos e associações, não aumentam a bilheteria dos filmes em cartaz de cinemas.

Além de campanhas de conscientização, muitos países desenvolvem leis que punem severamente a pirataria, como a Coreia do Sul, a Nova Zelândia, os Estados Unidos e, principalmente, a França, que tem as leis mais pesadas.

Todas as leis e campanhas têm objetivo óbvios em comum: diminuir a pirataria e o mercado paralelo, e aumentar o lucro de acionistas e das indústrias fonográficas e cinematográficas. O novo estudo, feito pelo Dr. Jordi McKenzie, tenta responder se isso realmente funciona — e mostra que, pelo menos para os filmes que estão em cartaz, o lucro não é afetado e as receitas não são estimuladas.

Publicado no jornal Information Economics and Policy, a pesquisa acompanhou as receitas de estreia e totais de 6.083 filmes lançados entre 2005 e 2013. Por meio de estatísticas, foram medidos os impactos de políticas antipirataria e notificações gradativas em seis países; outros dez foram incluídos posteriormente como medida de controle.
Notificações gradativas, como acontece na França, são avisos entregues aos usuários, caso ele esteja baixando ou compartilhando arquivos ilegais. Eles são gradativos porque, em primeiro lugar, o usuário recebe apenas um aviso. Posteriormente, ele recebe punições e pode até enfrentar a questão nos tribunais.

"O estudo considerou que não foram encontradas evidências consistentes que mostram o aumento de receita de cinemas em qualquer um dos mercados analisados", conclui o estudo. McKenzie ainda nota que os usuários ainda podem assistir filmes piratas facilmente, caso queiram fugir das medidas punitivas, com serviços não monitorados ou o uso de VPNs.

E o Megaupload da massa?

O Megaupload foi um dos maiores sites de downloads ilegais de filmes. McKenzie também estudou o impacto que o site gerou após ser fechado, e a conclusão foi de que as receitas de cinemas não aumentaram. Pelo contrário, elas até caíram um pouco — vale notar que os resultados podem ser diferentes em países não pesquisados.

Para encontrar o estudo completo e com detalhes, clique aqui.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários
0 comentários


Comentários via Facebook

2017 © - Atanews