• Olá visitante, seja bem-vindo!
    Entrar | Cadastre-se
  • Tempo Hoje
    SP, Araçatuba
    min 22º
    máx 29º
  • Terça, 23 de Maio de 2017
    • Facebook
    • Twitter
    • Pinterest
    • Instagram
    • Youtube
    • Rss

Política / 6 de Janeiro de 2017 12h33

GOVERNO

Temer usa Twitter para esclarecer declaração sobre massacre em presídio

0 votos
Agência Brasil
Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus Compartilhe no Pinterest
Por meio de sua conta pessoal no Twitter, o presidente Michel Temer explicou por que utilizou a palavra acidente para classificar o massacre que deixou 56 mortos no Complexo Prisional Anísio Jobim (Compaj), na capital amazonense.

"Sinônimos da palavra 'acidente': tragédia, perda, desastre, desgraça, fatalidade", escreveu, referindo-se à própria declaração feita pela manhã de hoje (5), ao abrir a reunião do Núcleo Institucional do governo que discutiu o sistema carcerário brasileiro.

Durante a reunião, o presidente anunciou que será construído um presídio novo em cada um dos 26 estados e no Distrito Federal. Só na construção de cinco presídios federais o governo vai investir R$ 200 milhões, além de outros R$ 150 milhões para instalar bloqueadores de celular em pelo menos 30% das penitenciárias brasileiras.

Em entrevista após o encontro, o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, informou que o novo Plano Nacional de Segurança contemplará, no quesito carcerário, três objetivos: reduzir homicídios dolosos e feminicídios, promover o combate integrado à criminalidade transnacional – tráfico de drogas e de armamento pesado – e a racionalização e a modernização do sistema penitenciário.

Além dos 56 presos que foram assassinados durante o motim no Compaj, outros quatro detentos morreram na Unidade Prisional de Puraquequara, também em Manaus. As rebeliões tiveram como consequência a fuga de 184 presos. Nesta quinta-feira (5), a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas informou que 65 deles foram recapturados.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários
0 comentários


Comentários via Facebook

2017 © - Atanews