• Olá visitante, seja bem-vindo!
    Entrar | Cadastre-se
  • Tempo Hoje
    SP, Araçatuba
    min 22º
    máx 29º
  • Segunda, 16 de Outubro de 2017
    • Facebook
    • Twitter
    • Pinterest
    • Instagram
    • Youtube
    • Rss

Notícias / 11 de Outubro de 2017 10h53

ARAÇATUBA

Ritinha Prates participa de “desafio do orçamento”

0 votos
Proposta foi feita por advogado e visa arrecadar R$ 45 mil para a entidade
Assessoria de Imprensa
Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus Compartilhe no Pinterest
Foto: Assessoria de Imprensa
Um desafio diferente, solidário, chamou a atenção da diretoria da Associação de Amparo ao Excepcional Ritinha Prates (AAREP) e a fez participar de uma ação para arrecadar recursos para a entidade. Convidada pelo juiz aposentado e professor de Direito, Odonel Urbano Gonçalves, que doou R$ 15 mil para a instituição, a diretoria aceitou o challenger budget (orçamento desafiador), que consiste em conseguir a doação de mais R$ 15 mil, e, posteriormente, atingindo esse objetivo, receber outros R$ 15 mil do doador que propôs o desafio.

Gonçalves explica que conheceu o formato do challenger budget de uma atividade anterior que realizou no Terceiro Setor, quando uma empresa de origem norte-americana propôs o formato que lhe pareceu um avanço na profissionalização de captação de receitas pelas entidades filantrópicas.

O prazo para que o “orçamento desafiador” seja cumprido é de 90 dias. Mas o interesse da AARP é que isso ocorra o mais rapidamente possível, haja vista a entidade estar em campanha para arrecadar verba visando fechar a folha de pagamento do 13º salário deste ano. “Esse desafio veio em boa hora, pois não é fácil conseguir levantar recursos para honrar todos os compromissos da associação”, comenta a presidente da instituição, Maria Aparecida Nascimento Xavier (Cida). “Não conhecíamos o ‘orçamento desafiador’, e avaliamos que se trata de uma modalidade muito interessante para entidades beneficentes. Só temos a agradecer ao Odonel, por esta iniciativa”.

Segundo Gonçalves, ele foi levado a propor o desafio ao Ritinha Prates exclusivamente por conta do espírito de solidariedade com a associação, cujo trabalho humanitário ele conhece. “Como coordenador nacional da Fundação Liliane (sediada na Holanda), coordenei a instalação de parceria entre o Ritinha Prates e a entidade holandesa, que teve o objetivo de ajudar diretamente crianças carentes com deficiência. A parceria durou muitos anos, até o seu término, em dezembro de 2016. Esse encerramento decorreu de a Fundação Liliane ter deslocado seu eixo de ajuda para o Nordeste brasileiro. Como entendo que o trabalho do Ritinha Prates é relevante, pois sem ele muito provavelmente seus pacientes ficariam jogados num canto qualquer, sem nenhuma assistência digna, decidi colaborar individualmente”.

Cumprido o desafio, Gonçalves solicita que a prestação de contas, com o total do valor investido, seja feita em 90 dias. “Nosso setor de telemarketing já está trabalhando na arrecadação dos R$ 15 mil para complementar a primeira doação”, conta Cida. “Não temos como agradecer ao Odonel por essa atitude solidária”.

Credibilidade

Transparência é a palavra-chave no estímulo à colaboração com o Terceiro Setor. De acordo com Gonçalves, “Terceiro Setor sem transparência não tem credibilidade. E, sem credibilidade, não tem colaboração da sociedade. A transparência, por sua vez, exige profissionalização, requisito que as entidades filantrópicas, de maneira geral, não possuem”.

O juiz aposentado comenta ter a percepção de que o Ritinha Prates é referência de solidariedade na região. “Logo, se tiver uma administração profissional e setor de marketing competente, por certo receberá a colaboração da comunidade que o cerca”.

A Entidade


Sem fins lucrativos, a Associação de Amparo do Excepcional Ritinha Prates (AAERP) existe há 40 anos trabalha na área da saúde e inclusão social, por meio do Hospital Neurológico Ritinha Prates (HNRP), com a prestação de serviços especializados a pessoas com deficiências neurológicas e auditivas. O HNRP atende atualmente 60 usuários internos com deficiências neurológicas severas. A entidade também é a mantenedora do Centro Especializado em Reabilitação III – Ritinha Prates (CER III Ritinha Prates). Entre os seus valores está o tratamento humanizado, além do respeito a conceitos éticos, morais, ambientais e filantrópicos.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários
0 comentários


Comentários via Facebook

2017 © - Atanews