• Olá visitante, seja bem-vindo!
    Entrar | Cadastre-se
  • Tempo Hoje
    SP, Araçatuba
    min 22º
    máx 29º
  • Segunda, 21 de Agosto de 2017
    • Facebook
    • Twitter
    • Pinterest
    • Instagram
    • Youtube
    • Rss

Notícias / 11 de Janeiro de 2017 13h53

ABONO SALARIAL

Mais de 95% dos trabalhadores sacaram Abono Salarial de 2014

0 votos
Cerca de 22 milhões de cidadãos com direito ao benefício fizeram o saque. É a segunda maior cobertura da história dos pagamentos.
Portal Brasil
Compartilhe no Twitter Compartilhe no Google Plus Compartilhe no Pinterest
Cada trabalhador recebeu o equivalente a um salário mínimo, no valor de R$ 880. ( Foto: Marcello Casal Jr )
Mais de 22,61 milhões de trabalhadores sacaram o Abono Salarial do PIS/Pasep ano-base 2014. Esse número corresponde a 95,93% do total de pessoas com direito ao benefício no país.

Essa foi a segunda maior taxa de cobertura da história dos pagamentos do abono – o recorde foi em 2009, quando o percentual de saques chegou a 96,3%.

Cada um recebeu o equivalente a um salário mínimo, no valor de R$ 880. No total, foram pagos mais de R$ 18,8 bilhões para beneficiários de todo o País.

A região Nordeste foi campeã de saques: 98,7% dos beneficiários fizeram o saque. Em seguida, veio a região Sudeste, com índice de 95,58%; Centro-Oeste (95,39%), Norte (94,77%) e Sul (93,95%).

Recursos que não foram sacados até 30 de dezembro, voltaram para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT). O FAT é mantido com contribuições das empresas e é destinado a pagamentos de Abono Salarial e Seguro-Desemprego.

De acordo com o Ministério do Trabalho, o resultado deve-se ao esforço do governo federal para fazer com que o recurso chegasse até os cidadãos.

O ministro, Ronaldo Nogueira, solicitou, por duas vezes, que o Conselho Deliberativo do Fundo de Amparo ao Trabalhador (Codefat) prorrogasse o prazo para saque.

“Fizemos o adiamento justamente para que aqueles mais humildes pudessem sacar um dinheiro que é deles por direito”, disse o ministro.

Uma série de outras medidas foi adotada durante a prorrogação. O Ministério do Trabalho promoveu uma ação conjunta com a Caixa Econômica e o Banco do Brasil, enviou correspondência aos trabalhadores, e-mails aos órgãos públicos e mala direta às empresas.

Além disso, a pasta divulgou amplamente a informação na imprensa e nas redes sociais e disponibilizou na internet a relação com os nomes dos trabalhadores que tinham direito ao abono.

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie.

Comentários
0 comentários


Comentários via Facebook

2017 © - Atanews